Por que o Brasil Precisa Urgentemente de Mais Engenheiros do que Advogados e Médicos? Em destaque

Por

2 de 2 pessoas acharam esta avaliação útil
★★
Tenho "conceitos" (que não são "pré") contra o capitalismo SIM!
"Não podemos ter pré-conceitos anti-capitalistas (...)" Discordo da parte que quotei acima, pois, como comunista que sou, sei bem que não precisamos do capitalismo para termos inovações nas áreas de alta tecnologia, engenharia (de qualquer tipo), crescimento industrial, etc., haja visto que a China, um país que, devo lembrá-lo, é comunista, está administrando seu desenvolvimento e crescimento mantendo as ideologias do Partido Comunista sem nenhum receio de errar (e vem dado certo, basta dar uma olhada nos números do desenvolvimento anual deles nas mais diversas áreas)! Veja bem, as pessoas relacionam o comunismo a ditadura, mas o comunismo nada tem a ver com ditaduras, o governo da China é comunista *E* ditatorial, e não comunista *E POR ISSO* ditatorial, é bom sempre deixar isso bem claro! O capitalismo não é bom para o crescimento tecnológico e científico de um país, ao contrário do que se pensa, pois os gênios acabam sempre subestimados pelas grandes indústrias e quem acaba contratado é sempre aquele que mais se submete a verdadeira ditadura, que é a do capitalismo! Em um país comunista de verdade, e não comunista e ditatorial, além das liberdades que NÃO lhe serão tiradas, você tem recursos ilimitados para seu crescimento intelectual e consequentemente para colaborar com o crescimento científico e tecnológico daquele país, pois todos são contratados pelas empresas e indústrias, que são 100% do governo (ou seja, do povo), todos tem moradia, educação plena, saúde, alimentação, e patrocínio para seus projetos, garantidos pelo governo (que representa verdadeiramente o povo, o todo, o comunismo, o comum a todos), assim possibilitando um grande desenvolvimento, não só do país como um todo, mas da qualidade de vida de seus habitantes de modo geral! Abraço, Igor Isaias Banlian
Resposta do autor

Caro Igor Isaias Banlian, Infelizmente, sua pessoa possui “pré-conceitos” em relação ao capitalismo, pois suas idéias em relação ao que seja este termo não foram retiradas de nenhum livro de graduação e/ou pós-graduação em ciências econômicas e/ou bons dicionários de economia. São meras opiniões subjetivas, pejorativas, parciais, limitadas e contraditórias em relação ao o que seja, filosófica, científica e tecnicamente, este sistema econômico. Já em relação à sua idéia de do que seja o “comunismo”, ela é extremamente “idealista”, subjetiva e “utópica” se afastando do conceito científico de “comunismo real” que existiu, por exemplo, na antiga União Soviética (que hoje seus países tentam aperfeiçoar suas recentes democracias capitalistas) e em Cuba (que atualmente está tentando abrir sua economia para a iniciativa privada, interna e externa, apesar de manter o unipartidarismo e prender e/ou matar seus opositores como na China). Também está misturando conceitos das ciências políticas, das ciências jurídicas e das ciências econômicas, ao usar o exemplo da China. Neste país, a economia é basicamente “capitalista” em vários aspectos, como, por exemplo, ao permitir a livre iniciativa empresarial individual, respeitar o direito à propriedade privada dos indivíduos e estimular o enriquecimento econômico de cada cidadão que seja mais empreendedor e mais competente para tal. Pura competição sócio-econômica interna e externa. Como em qualquer outro país capitalista. Outra questão é a organização política e jurídica da China. Por exemplo, neste país o sistema político possui como uma das características principais o unipartidarismo, ou seja, só é permitida a existência jurídica de um único partido, no caso, o partido comunista chinês. Não é permitido e não existe liberdade para se defender o bipartidarismo (como na Inglaterra e nos EUA) e/ou o pluripartidarismo (como no Japão, Alemanha, Canadá, Dinamarca, Suécia, Israel, França, Brasil, Rússia, Índia, México, etc.), a liberdade de impressa, a liberdade de expressão de livre pensamento (que inclui qualquer tipo de crítica ao governo chinês) e outros aspectos. Um sistema político-jurídico de característica democrata permite, por exemplo, o bi e/ou pluripartidarismo no qual inclui a coexistência de partidos de situação e de oposição, liberais (em termos éticos e/ou econômicos), conservadores (em termos éticos e/ou econômicos), trabalhistas, socialistas, comunistas, ecológicos, etc. Logo, a China é “capitalista” (e não comunista como tu “achas” segundo seu “pré-conceito”) em muitos aspectos econômicos, mas não é democrática em muitos aspectos políticos e jurídicos. Pré-conceito, em certo sentido, é toda idéia e/ou crença precipitada e predominantemente de cunho muito emocional feita antes do conceito racional elaborado pelos acadêmicos em cada especialidade do conhecimento. Ou seja, “pré-conceitos” são meras opiniões mais intuitivas e/ou “achismos” sem nenhum estudo mais aprofundado e especializado. Já o conceito é elaborado metodicamente através de pesquisas filosóficas, científicas e técnicas mais demoradas, racionais e especializadas. Sugiro a sua pessoa ler muitos bons dicionários especializados, artigos e textos mais acadêmicos e de graduação de boas faculdades de ciências políticas, ciências econômicas e ciências jurídicas para se “formar” racional e cientificamente e não só se “informar” e/ou “achar” de forma limitada, equivocada e parcial sobre estas questões. Abraço, José Carlos Lobo Barbosa.


Denunciar