DESVIO DE FUNÇÃO NO PODER JUDICIÁRIO

Por

1 de 1 pessoas acharam esta avaliação útil
Desvio de função na Justiça Eleitoral
Veja que na Justiça Eleitoral que a teor da lei 6999/82 que autoriza a requisição e servidores públicos, para auxiliar em serviços eleitorais, acaba exercendo funções de oficial de justiça, atribuições do Técnico Judiciário, e se eternizam na Justiça eleitoral como servidores fossem. Com a edição da Súmula, a Justiça Eleitoral deve rever sua postura e aplicar a lei corretamente, ou seja, requsisitar quando houver acúmulo de serviço e abrir concurso público.
Resposta do autor

Companheiro Jailton Fiquei feliz por seus comentários e intervenção. É lamentável que a Justiça eleitoral ainda seja tratada de forma tão amadora. Sem dúvida só atende aos interesses políticos e econômicos dominantes. Não ter a Justiça Eleitoral Juízes e paralelamente não ter o MPF Procuradores especificamente eleitoral demonstra o quão desvalorado é este ramo especial do Judiciário Federal. Com razão seu comentário acerca dos servidores que não são do quadro e se eternizam no exercício das atribuições, prejudicando a boa formação técnica de pessoal capacitada e a realização de concursos públicos para tanto. E ainda maquiando o déficit de servidores. Desculpe-me pela demora em responder, pois só agora vi que alguém disse algo sobre o que escrevi. Não sou nada bom com a vigilância de meus artigos. Saudações. João Tércio


Denunciar