ÓLEO MISTO VEGETAL CONTRA AVC E TETRAPLEGIA

ÓLEO MISTO VEGETAL CONTRA  AVC E TETRAPLEGIA

O óleo à base das plantas Copaifera langsdorffii (copaíba) e Alpinia speciosa Schum (bastão do imperador) totalmente natural, é feito para ingestão de algumas gotas diárias.

A copaíba já tem tido suas propriedades comprovadas em estudos da UFPA, assim como ocorre com a planta bastão do imperador, em estudos em universidades no Nordeste.

Um estudo da Universidade Federal do Pará mostrou que a copaíba pode ajudar na recuperação de pessoas que sofreram algum tipo de derrame cerebral.MUITOS ESTUDOS, INCLUSIVE ANTERIORES, AOS NOSSOS, JÁ DEMONSTRARAM A EFICÁCIA DA ALPINIA. O caso mais significativo é o do lutador de jiu-jitsu sergipano João Alberto Alves, 31 anos. Em 2007, Alves sofreu um acidente vascular encefálico após cirurgia para retirada da glândula tireoide. "Eu era independente e, de uma hora para outra, me vi precisando de ajuda para fazer tudo. Foi muito difícil", afirma o lutador que sequer levantava da cama, mas hoje usa o andador com facilidade e faz exercícios físicos.

Nosso trabalho une mecanismos das duas espécies vegetais com nosso estudo independente anterior sobre bioprocessos.

A ação antinflamatória da copaíba é superior ao diclofenaco:

Um estudo britânico publicado na revista científica "Lancet" sugere que anti-inflamatórios analgésicos, como o ibuprofeno e o diclofenaco, podem aumentar o risco de doenças cardíacas quando ingeridos em grandes doses.

Estudos anteriores já haviam apontado a relação entre os anti-inflamatórios e problemas do coração, mas esta é a primeira vez que uma pesquisa faz uma análise mais detalhada.

Os autores, da Universidade de Oxford, analisaram o prontuário de 353 mil pacientes para avaliar o impacto dos anti-inflamatórios, que são medicamentos não esteroides e, no Brasil, são vendidos com nomes comerciais como Voltaren e Cataflan.

Os cientistas examinaram receitas médicas com altas doses diárias de anti-inflamatórios, de 150 mg de diclofenaco ou 2.400 mg de ibuoprofeno, e não as prescrições de pequenas doses, que podem ser adquiridas nas farmácias sem receita médica.

Os resultados apontaram que, para cada mil pacientes analisados, o risco de ataque cardíaco aumentava de 8 para 11 por ano. Também foram registrados quatro casos adicionais de falência cardíaca e uma morte, além de casos de sangramento no estômago.

“Três casos adicionais de ataque cardíaco por ano podem parecer um risco baixo, mas cabe aos pacientes julgarem se querem tomar os medicamentos", disse o pesquisador-chefe, Colin Baigent. Ele salientou que os resultados da pesquisa não devem preocupar pessoas que tomam baixas doses dos medicamentos para tratar problemas como dor de cabeça.

No entanto, o cientista alerta que quem já corre risco de doenças cardíacas tem mais chance de desenvolver complicações se tomar altas doses de anti-inflamatórios.

POR SUA VEZ, A AGÊNCIA USP DE NOTÍCIAS DESTACOU:

“Pesquisadores da Faculdade de Ciências Farmacêuticas de Ribeirão Preto (FCFRP) da USP constataram que o óleo de copaíba apresenta ação antiinflamatória. Esse potencial se mostrou duas vezes maior que o encontrado no diclofenaco de sódio, um dos medicamentos mais utilizados no mercado.

Os estudos foram concentrados na fração volátil, produto que sofre evaporação rápida, o que limita sua veiculação em formas farmacêuticas convencionais. Por isso, os pesquisadores desenvolveram microcápsulas (cápsulas microscópicas) que aprisionam essa fração volátil - limitando sua perda por evaporação - e a transformam em um produto sólido, capaz de ser administrado nesta forma ou em outras mais convencionais, como comprimidos e cápsulas.

Diclofenaco x copaíba:

O diclofenaco de sódio é um medicamento sintético de ação antiinflamatória comprovada. "No caso da copaíba, temos um composto natural com a mesma ação de um sintético". A potência da copaíba se mostrou maior, porque com uma dose menor, obtivemos a mesma equivalência terapêutica", conta os pesquisadores”. 

A AÇÃO ESPECÍFICA DO NATUPLEGIC:

Nenhum outro estudo havia investigado se o tratamento com o óleo de copaíba tinha algum efeito anti-inflamatório em um modelo experimental de uma doença especificamente do sistema nervoso central.

Nosso estudos que tem bases em Pernambuco e paraíba, juntou estudos da copaíba e da alpínia.

Neste modelo experimental, fora injetada uma neurotoxina (substância tóxica que pode lesar o sistema nervoso) no cérebro de ratos. Esse procedimento causa uma lesão semelhante à provocada pelo Acidente Vascular Cerebral (AVC).

Como parte da metodologia, foram utilizados mais dois grupos de ratos, tratados de forma diferente. Um grupo recebeu uma solução salina estéril (soro fisiológico), contendo sódio e água. Já o outro grupo foi tratado com o óleo, diluído em uma concentração que era considerada adequada.

No grupo de animais tratados com o óleo, houve uma diminuição da inflamação no sistema nervoso central e uma melhor proteção desse sistema contra lesão, ou seja, neuroproteção”.

COPIE E COLE ESTES LINKS PARA VER VÍDEO COM RELATOS DE DOIS USUÁRIOS DESTE TRATAMENTO: 

Usuário após 1 mês de tratamento: https://youtu.be/TX1oFMczQyA

Outro usuário: https://www.facebook.com/valdirufrpe/videos/pcb.798685583640584/850522545123554/?type=3&theater

Solicite mais informações (inclusive explicação sobre a ação nas fibras nervosas, assim como o acesso ao tratamento) pelo nosso e-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.   Ou ZAP: 81-9-97674549

Valdir Antônio da Silva

Publicado
Visualizações
247
YouTube