A Relação entre os Dons e o Fruto do Espírito

Uma das principais razões para a necessidade de se criar um firme fundamento na graça, pela obtenção e exercício do fruto do Espírito Santo, se refere sobretudo a servir de um aporte para que não sejam desperdiçados ou mal usados os dons sobrenaturais e extraordinários do mesmo Espírito, conforme  relacionados nos capítulos 12 e 14 de I Coríntios.

Por este motivo o apóstolo Paulo interpõe o caminho que é sobremodo excelente do amor entre os capítulos citados anteriormente, demonstrando que ainda que ele estivesse dotado de todos os dons sobrenaturais do Espírito, mas caso estes não fossem embasados por uma vida governada e expressada pelo amor de Cristo, isto não seria de qualquer proveito, e ele estaria fazendo apenas barulho como um bronze que soa ou címbalo que retine.

A este testemunho do apóstolo pode ser acrescentado o do autor de Hebreus no início do sexto capítulo da citada epístola, onde afirma até mesmo a perdição eterna, em ruína de rejeição, maldição e queima por Deus, de todos aqueles que mesmo sendo feitos participantes dos dons sobrenaturais do Espírito (como Saul, Judas, Balaão etc), por não terem alcançado sequer a salvação pela graça, e muito menos a produção do fruto do Espírito para Deus, que é amor, bondade, benignidade, longanimidade, fé, alegria, paz etc.

Assim que é de pouca vantagem, no caso de crentes autênticos, que não se encontram na condição citada no parágrafo anterior, porque são participantes da graça salvadora de Cristo, serem dotados de vários dons sobrenaturais, como eram muitos crentes da Igreja de Corinto, e no entanto, serem faltosos no fruto do Espírito, por falta de disciplina e diligência, e obediência espiritual para crescer na graça e no conhecimento de Jesus.

Os dons passarão, mas o fruto do Espírito não é perdido, pois passa a fazer parte da nossa nova natureza.

Falar em línguas estranhas é edificante para o que fala, mas será de pouco uso se lhe falta longanimidade, paciência, misericórdia, e todas as demais características do amor citadas em I Coríntios 13.

Os dons sobrenaturais são necessários e devem ser buscados, porque a igreja que estiver despojada deles pouco pode fazer para Cristo no que tange ao avanço do evangelho. Mas o testemunho dado no poder do Espírito, pode ser perdido quando depois de ter pregado com unção, for observado que ainda temos um coração carnal e mundano, pronto a se irritar com a menor provocação, a não perdoar a menor ofensa, a não suportar os crentes que são fracos, e enfim, estar muito longe daquela verdadeira santificação e renovação da mente que identifica todos os crentes que são de fato espirituais.  

Publicado
Visualizações
284