O Ramo do Senhor a Beleza de Sião; ou, a Glória da Igreja na sua Relação com Cristo

  John Owen (1616-1683)

Traduzido, Adaptado e Editado por Silvio Dutra

"Porque a minha casa será chamada de casa de oração para todos os povos". (Isaías 56: 7)

Do versículo 3 deste capítulo ao versículo 8, você tem promessas e predições de convocação dos gentios à igreja de Deus, apesar de quaisquer objeções ou obstáculos colocados no seu caminho por constituições cerimoniais e típicas, - sendo todos para serem removidos na cruz de Cristo, Efésios 2: 13-16; Colossenses 2:14; - dando lugar à realização dessa promessa que é dada no 2º capítulo de Isaías, versículos 2,3, "Acontecerá nos últimos dias que se firmará o monte da casa do Senhor, será estabelecido como o mais alto dos montes e se elevará por cima dos outeiros; e concorrerão a ele todas as nações. Irão muitos povos, e dirão: Vinde, e subamos ao monte do Senhor, à casa do Deus de Jacó, para que nos ensine os seus caminhos, e andemos nas suas veredas; porque de Sião sairá a lei, e de Jerusalém a palavra do Senhor." As palavras do versículo 7 são uma recapitulação do todo, assegurando sumariamente o chamado dos gentios ao monte sagrado ou igreja espiritual de Cristo; onde também você tem uma descrição dos serviços prestados por eles após a sua vinda: "sim, a esses os levarei ao meu santo monte, e os alegrarei na minha casa de oração; os seus holocaustos e os seus sacrifícios serão aceitos no meu altar; porque a minha casa será chamada casa de oração para todos os povos.", respondendo a essa predição eminente do culto solene dos gentios chamados, Malaquias 1:11 "Mas desde o nascente do sol até o poente é grande entre as nações o meu nome; e em todo lugar se oferece ao meu nome incenso, e uma oblação pura; porque o meu nome é grande entre as nações, diz o Senhor dos exércitos." Os serviços espirituais dos santos dos gentios estão em cada lugar estabelecidos pelas ordenanças cerimoniais do incenso, do altar e do sacrifício, como eram então aceitáveis, do compromisso próprio do Senhor. Agora, toda essa promessa é mais uma vez fortalecida, sem perda de vida ou beleza e compreendida nas palavras do texto. O que antes ele chamou de "sacrifício e holocaustos", aqui ele chama "oração", e aqueles que antes eram "os filhos do estranho", são aqui "todas as pessoas" - alguns, muitos de todos os tipos, o mundo inteiro , todos os homens, sem distinção, dividindo a parede separatória. O assunto aqui falado é a casa de Deus, descrita, - Primeiro, pela sua apropriação para ele; é sua peculiarmente, - "Minha casa". Em segundo lugar, pelo alcance de recebimento em relação a outros; é "para todas as pessoas". Em terceiro lugar, pelo emprego de seus habitantes; isto é, a oração, - "será chamada de casa de oração". "Casa" aqui pode ser tomada de duas maneiras. 1. Adequadamente, como foi no tipo para o templo material em Jerusalém; para o qual essas palavras são aplicadas pelo nosso Salvador, Mateus 21: Mas isso não está mais relacionado aqui, senão como a santidade espiritual do antitipo não poderia ser representada sem uma santidade cerimonial do tipo. 2. Espiritualmente, para que a igreja de Cristo seja reunida para ele de todas as nações; a casa em que "juge sacrificium", um sacrifício espiritual contínuo, deve ser oferecido a ele: este é peculiarmente por isso, observe:

I. A igreja dos santos de Cristo, dos crentes, é a casa de Deus.

II. A igreja de Cristo sob o evangelho deve ser reunida de todas as nações.

III. Existem ordenanças estabelecidas e adoração designada para a igreja de Cristo sob o evangelho. É a primeira que eu falarei. A igreja de santos de Cristo, dos crentes, é a casa de Deus. Que a sua igreja é dos santos e os crentes aparecerá na questão. Pela igreja de Cristo entendo, principalmente, toda a multidão dos que antecedentemente são escolhidos de seu Pai, e lhe são entregues; consequentemente, são redimidos, chamados e justificados em seu sangue; - a igreja a quem ele amou e se entregou, "para santificar e limpá-la com a lavagem da água pela palavra; para que ele possa apresentar a si mesmo uma igreja gloriosa, sem mancha, nem ruga, nem qualquer coisa semelhante; mas que deve ser santa e sem defeito.", Efésios 5: 26,27. E, secundariamente, também todas as assembleias santas do monte Sião, para as quais o Senhor Jesus Cristo é feito beleza e glória, - toda a igreja particular de seus santos, na medida em que como eles participam da natureza do todo, sendo comprados pelo seu sangue, Atos 20: 28. Que esta igreja pertence a Deus, só deixarei evidenciado sob a pretensão de que ele se apropria para si mesmo; ele chama isso dele: "Minha casa". Que é sua casa, eu vou demonstrar mais longe. São necessárias três coisas para fazer uma casa: - primeiro, uma fundação; em segundo lugar, materiais para uma superestrutura; em terceiro lugar, um enquadramento ordenado de ambos em um edifício útil; - e todos estes concordam com a igreja de Cristo. Primeiro. Tem uma base. "Eu estabeleci o fundamento", diz Paulo, 1 Coríntios 3:10; e "ninguém pode lançar outro fundamento, além do que já está posto, o qual é Jesus Cristo.", versículo 11. O que Paulo colocou de forma ministerial, o próprio Deus estabeleceu de forma primordial e eficiente. "Portanto assim diz o Senhor Deus: Eis que ponho em Sião como alicerce uma pedra, uma pedra provada, pedra preciosa de esquina, de firme fundamento; aquele que crer não se apressará.", Isaías 28:16. Agora, esse fundamento não é outro, senão a rocha sobre a qual a igreja é construída, Mateus 16:18, o que a torna inexpugnável para as portas do inferno, comunicando força e permanência continuamente a todas as partes do edifício. Em segundo lugar. Uma fundação apenas não fará uma casa, - também deve haver materiais para uma estruturação. Aqueles que você tem, 1 Pedro 2: 5. "Vocês são", diz ele, "pedras vivas". Todos os eleitos de Deus são pedras, a tempo de serem cortadas e ajustadas para este edifício. Terceiro. Os próprios materiais não servirão se eles não forem adequadamente enquadrados e sabiamente dispostos, ou eles serão um monte, e não uma casa. Isso, então, não está faltando. No entanto, "são construídos sobre o fundamento dos apóstolos e profetas, o próprio Jesus Cristo sendo a principal pedra angular; em quem todos os edifícios, bem enquadrados, crescem para um templo sagrado no Senhor: em quem vós também são construídos juntos para uma habitação de Deus pelo Espírito", Efésios 2: 20-22.Há muita arquitetura espiritual e celestial nestes três versos. Só devo tocar em alguns detalhes.

1. O fundamento desta casa, este templo, é posto; e este é Jesus Cristo: "Outro fundamento, nenhum homem colocar". Ele é chamado aqui "A principal pedra angular" e "O fundamento dos apóstolos e dos profetas". Não é, o que eram, mas o que eles lideram. É "genitivus efficientis", não "material", que a expressão mantém, - as pessoas que trabalham, não o que está feito.

2. Os materiais deste edifício, - eleitos, crentes; disse no verso anterior são "concidadãos com os santos e da casa de Deus". Somente eles são construídos sobre Cristo e, portanto, têm união com ele: nenhuma pedra morta e podre em todo esse edifício, como deve ser declarado.

3. Os arquitetos ou construtores são de dois tipos. (1.) Principal: "O Espírito", estamos sendo "edificados para uma habitação de Deus pelo Espírito", ele é o principal operário neste prédio, - sem ele não há uma pedra que seja nele colocada. (2.) Secundário e instrumental: "Os apóstolos e profetas". E estes eram em dois modos. [1.] Pessoalmente, em suas várias gerações; - este foi o seu trabalho, o trabalho deles, para estabelecer as bases e continuar a construção desta casa. [2.] Doutrinalmente; então eles trabalham nisso até o dia de hoje; - sua doutrina na Escritura contém o único fundamento, e a única maneira de construir sobre o mesmo.

4. A maneira do edifício: está "enquadrada de forma adequada", com a proteção do sol, juntou-se e uniu-se juntos, docemente fechados com Cristo, "a Cabeça, da qual todo o corpo, provido e organizado pelas juntas e ligaduras, vai crescendo com o aumento concedido por Deus.", Colossenses 2:19.

5. Que tipo de casa é. Recebe aqui um duplo título, "Um templo sagrado", e "Uma habitação", ou um tabernáculo; por causa de sua alusão a ambos os lugares sagrados da adoração de Deus, cumprindo os tipos de ambos. Por isso, é mais evidente que esta igreja de Cristo é uma casa, e sendo apropriada para Deus, a casa de Deus. Para tornar isso mais evidente, devo fazer estas duas coisas: - (1.) Mostre-lhe quais são as principais propriedades desta casa. (2.) Declarar qual é a relação em que Jesus Cristo está para esta casa, tendo chamado isso de igreja de Cristo. (1.) As propriedades, ou principais qualidades desta casa, são três: - [1.] É uma casa viva; [2.] É forte; [3.] É gloriosa. [1.] É uma casa viva: "e, chegando-vos para ele, pedra viva, rejeitada, na verdade, pelos homens, mas, para com Deus eleita e preciosa, vós também, quais pedras vivas, sois edificados como casa espiritual para serdes sacerdócio santo, a fim de oferecerdes sacrifícios espirituais, aceitáveis a Deus por Jesus Cristo.", 1 Pedro 2: 4,5. Cristo, o fundamento, é um pedra viva, e os que são construídos sobre ele são pedras vivas. Daí deles é dito que crescem juntos em uma casa. Crescimento é um sinal de vida, crescendo a partir de um princípio interno. Tal como o crescimento de qualquer coisa é, tal é a sua vida. O crescimento desta casa é espiritual, então, portanto, também é a sua vida; - vive com uma vida espiritual, uma vida cuja plenitude está em seu fundamento. Ele tem "a vida em si mesmo", João 5:26, e em relação a eles: "estou crucificado com Cristo; e vivo, não mais eu, mas Cristo vive em mim ", Gálatas 2:20; sim, é ele mesmo neles, "ainda que não eu, mas Cristo vive em mim". É verdade, essas pedras estão mortas tanto na rocha quanto nos outros; "por natureza, filhos da ira tanto quanto eles", Efésios 2: 3; estando "mortos em delitos e pecados", versículo 1. O que os julga dá vida; - Ele os vivifica quando mortos em delitos e pecados. Não há uma pedra podre e morta em todo este edifício. No entanto, alguns possam, pela vantagem de sua aparência externa, se encaixar, mas eles não são da própria casa. [2.] É uma casa forte: "As portas do inferno não podem prevalecer contra ela", Mateus 16:18. Embora a chuva desça e as inundações venham, e os ventos soprem sobre esta casa, ainda não cairá, porque está fundada em uma rocha, Mateus 7:25. Todos fomos uma vez uma casa construída sobre Adão; e quando o vento veio e bateu sobre nós, caímos; e a queda dessa casa foi muito grande. Ele em sua melhor propriedade foi encontrado como sendo areia; agora estamos construídos sobre uma rocha que irá resistir a todas as provações: - as ondas podem fazer barulho e se precipitarem contra ela, mas será para sua própria ruína. Mas você dirá: não podem ser construídos materiais fracos e inconsistentes sobre uma rocha, que ainda não podem ter mais força para o seu fundamento. Não está aqui, pois todo o edifício está enquadrado no fundamento, Efésios 2:22; não só sobre isso, mas também nele, e para não ser prevalecente contra, a menos que a própria rocha seja derrubada. E é uma pedra viva na qual esta casa está construída, - uma rocha que se comunica continuamente com todas as pedras do prédio, para permitir que ele permaneça nela. Devo avançar muito, devo declarar a poderosa defesa e fortificação desta casa; - o que foi falado da base é suficiente para demonstrar que é uma casa forte. [3.] É uma casa gloriosa, e isso em um triplo respeito.

1º. É gloriosa em relação à glória interior, trazida de Deus diante de Jesus Cristo, sendo linda através da beleza que ele coloca sobre ela. Daí Cristo, falando sobre isso, diz: "Quão formosa, e quão aprazível és, ó amor em delícias!" Cantares 7: 6; e "Tu és toda formosa, amada minha, e em ti não há mancha.", cap. 4: 7. E como isto é possível? Por que, Cristo deu o seu próprio sangue, para que seja "uma igreja gloriosa", Efésios 5: 26,27. E, além disso, ela sendo "o ramo do Senhor e o fruto da terra", é feito de beleza, glória e excelência, Isaías 4:

2º. Tem a beleza e a glória da justificação, que não só leva embora todas as vestes sujas, fazendo com que a iniquidade desapareça, mas também faz uma "troca de vestuário", Zacarias 3: 4,5, pelas "vestes de salvação", e a "túnica da justiça", Isaías 61:10. E então tem a glória e a beleza da santificação; de onde "a filha do rei é toda gloriosa", Salmo 45:13. A beleza que há em uma alma santificada está acima de toda a glória do mundo. Esta casa está toda coberta de ouro por dentro; Cristo é para ela "uma cabeça de ouro", Cantares 5:11. Sua casa não é como a imagem de Nabucodonosor, que a cabeça deve ser de ouro, e os seus membros de argila; - Todos participam de sua natureza e são muito gloriosos. 2. Em relação à sua estrutura externa, que tem eminentemente em todas as suas assembleias peculiares: "e aflita arrojada com a tormenta e desconsolada eis que eu assentarei as tuas pedras com antimônio, e lançarei os teus alicerces com safiras. Farei os teus baluartes de rubis, e as tuas portas de carbúnculos, e toda a tua muralha de pedras preciosas.", Isaías 54: 11,12. Assim, também, onde se chama a nova Jerusalém, uma cidade, das suas leis e política, desta "cidade" é dito ser de "ouro puro",  e não de escória e lama, - "a construção do muro de jaspe e os alicerces do muro adornado com todo tipo de pedras preciosas ", Apocalipse 21: 18,19. é o que o salmista chamadas. "A beleza da santidade", Salmo 110:

3º. A glória das ordenanças do evangelho é o seu vigor e pureza. Não há nada tão glorioso quanto o nosso rei no seu trono, Cristo na sua corte, esta casa reinando na administração de suas ordenanças: "Todas as tuas vestes cheiram a mirra a aloés e a cássia; dos palácios de marfim os instrumentos de cordas e te alegram. Filhas de reis estão entre as tuas ilustres donzelas; à tua mão direita está a rainha, ornada de ouro de Ofir.", Salmos 45: 8,9. As suas saídas são vistas, as saídas de nosso Deus e Rei no santuário, Salmos 68:24 , 25, etc. O apóstolo exalta a glória das administrações do evangelho muito acima do antigo tabernáculo e culto no templo, que ainda era pomposo e glorioso. "Se", diz ele, "Ora, se o ministério da morte, gravado com letras em pedras, veio em glória, de maneira que os filhos de Israel não podiam fixar os olhos no rosto de Moisés, por causa da glória do seu rosto, a qual se estava desvanecendo, como não será de maior glória o ministério do espírito? Porque, se o ministério da condenação tinha glória, muito mais excede em glória o ministério da justiça. Pois na verdade, o que foi feito glorioso, não o é em comparação com a glória inexcedível. Porque, se aquilo que se desvanecia era glorioso, muito mais glorioso é o que permanece.", 2 Coríntios 3: 7-11. Deixa os homens pensarem tanto quanto agradam o serviço espiritual de Deus entre o seu povo, toda a glória que ainda existe e que apareceu no mundo era apenas uma bolha comparado a isso, - tudo o que Deus instituiu antes teve muito pouco disso. Ele se deleita com isso que vê os orgulhosos de longe por aí. É glorioso em relação à exaltação que tem acima e ao triunfo sobre todos os seus adversários. Para ver uma casa, um palácio, pendurado ao redor com insígnias, despojos e escudos tirados dos inimigos que vieram contra ele, é uma coisa gloriosa: - assim é esta casa de Deus: "Reis de exércitos fogem, sim, fogem; as mulheres em casa repartem os despojos.", Salmo 68:12. "Aquele que demora em casa", a mãe de família, a igreja de Deus, ela "tem todos os despojos". O Senhor afirmou que não só todos os que se opõem, mas todos os que não servem a esta casa devem ser completamente destruídos, Isaías 60:12. Lá você tem o despojo de Faraó, e todo o seu exército, reunidos na margem do Mar Vermelho e dedicados nesta casa, Êxodo 15. Lá você tem as vestes de Nabucodonosor, reservadas quando ele próprio foi transformado em uma besta, Daniel 4 : 1. Lá você tem os ornamentos imperiais de Diocleciano e seu companheiro, deixando de lado seu domínio por muita loucura que não poderia prevalecer contra esta casa. Há o sangue de Juliano, mantido para um monumento de vingança contra os apóstatas. Lá você tem as fileiras dos prelados desta terra, pendurados até tarde, com outras roupas de seus aderentes, enroladas em sangue. Há um lugar reservado para os despojos remanescentes da grande prostituta, quando ela será queimada e desnuda e desolada, Apocalipse 11. Nunca se levantará nenhuma arma contra esta casa, que vá até a prosperidade final. Deixe os homens do mundo entenderem como eles se despedaçam com a pedra fundamental desta casa; - certamente os quebrarei todos em pedaços. Assim, eu lhe dei um vislumbre desta casa, com as principais propriedades dela, que, como Deus assume como sua, também pertence, particularmente, ao Senhor Jesus Cristo; sim, que relação ela representa para ele, ou melhor, ele é o principal que eu pretendo apresentar. (2) Jesus Cristo está em uma dupla relação com esta casa: - [1.] Em relação ao seu tecido e construção; [2.] Em relação ao seu estado e condição. [1.] No primeiro aspecto, Cristo se relaciona com esta casa de uma forma quádrupla; - como, 1. Sua base; 2. Sua arca; 3. Seu altar; 4. Seu castiçal. Passarei por isso, ajudando Deus, em ordem, e começarei com o que foi estabelecido pela primeira vez, - sua relação com esta casa, como, - 1. A base da mesma. Isto foi parcialmente declarado antes. Ele é a pedra que os construtores rejeitaram, mas feita pelo Senhor a pedra de esquina, Salmo 118: 22. Ele é o mais baixo no fundo, para suportar o peso do edifício; e o mais alto na esquina, para juntar o conjunto. "ninguém pode lançar outro fundamento, além do que já está posto, o qual é Jesus Cristo.", 1 Coríntios 3:11. Ele é a pedra na qual ele constrói sua igreja, Mateus 16: 18. Agora há três coisas necessárias para um fundamento, tudo o que é eminentemente visto no Senhor Jesus Cristo, em referência a esta casa. (1.) Que seja primeiro colocado no prédio. Seria um curso absurdo, primeiro construir uma casa, e depois estabelecer as bases. Jesus Cristo é o primeiro que é colocado neste tecido sagrado, e em um quádruplo respeito.

[1º.] Ele é o primeiro em relação ao propósito eterno de Deus. O Senhor propôs que "ele deveria ter a preeminência" nisso, bem como em todas as outras coisas, Colossenses 1:18. Ele está em relação a isto como "o primogênito entre muitos irmãos", Romanos 8:29, sendo o restante desta casa predestinado a ser conforme com ele. "Ele é antes de tudo: por ele são todas as coisas" - isto é, todas as coisas espirituais, todas as coisas desta casa - "consistem em ser ele é a cabeça do corpo, a igreja". Isto significa, Deus propôs que Cristo deve ser o fundamento de todo esse edifício, - que tudo deve ser colocado sobre ele. Não quero dizer que Deus primeiro pretendesse Cristo para uma fundação, e então elegê-lo para construir (a ordem de intenção e execução é, como primeira e última, invertida por todos os agentes); mas isto digo: Deus planejando construir seus eleitos em um templo sagrado, propôs que Jesus Cristo fosse o fundamento.

[2º.] Em relação à manifestação externa. Deus primeiro o manifesta e declara, antes de colocar uma pedra neste edifício. Gênesis 3:15, a semente, diz ele, da mulher ferirá a cabeça da serpente; - naquela foi colocada a primeira pedra deste edifício. Então foi o "Cordeiro morto", Apocalipse 13: 8, atualmente "após a fundação do mundo:" e daí é dado graças a ele, dito ser dado aos eleitos, "há muitas eras", Tito 1: 2.

[3.º] Porque, por ordem da natureza, Cristo deve primeiro ser colocado no coração de cada pedra individual antes de serem guardadas neste edifício. Se Cristo não está nos homens, eles são completamente inúteis para este edifício, 2 Coríntios 13: 7. Prova-os com tanta frequência, que eles devem finalmente ser rejeitados e deixados de lado.

[4º.] Em relação a cada assembleia particular e pequeno santuário do monte Sião. Se ele não for colocado pela primeira vez no meio de tais assembleias, elas serão os pináculos de Babel, e não as torres de Sião. Isto, portanto, era o caminho dos santos antigos, primeiro se deram ao Senhor Jesus Cristo, e depois uns aos outros, pela vontade de Deus, 2 Coríntios 8: 5. Nestes aspectos, Cristo, o fundamento é colocado pela primeira vez neste edifício espiritual, - que é a primeira propriedade de uma fundação. (2.) Um fundamento deve estar escondido e fora da vista para todos aqueles que olham para a casa. Eles não conseguem percebê-lo, embora cada parte da casa descanse sobre ele. E isso ocasionou muitos erros no mundo. Um homem imprudente que vem para uma grande casa, vendo as imagens [figuras?] que ficam agachadas sob as janelas e os lados da casa, talvez pensem que suportem o peso da casa, quando na verdade são na maior parte postagens salpicadas. Eles não sustentam a casa, - a casa os carrega. Por sua inclinação e aparência externa, o homem pensa que o peso está sobre eles e supõe que seria fácil, a qualquer momento, tirando-os, demolir a própria casa. Mas, quando se prepara para trabalhar, ele encontra essas coisas sem valor; há uma base no fundo, que representa o todo, no que ele não pensou: - contra isso, ele pode se perder, até que ele seja quebrado em pedaços. Olhando para a igreja, acho que é um tecido ajustado de fato, mas não consigo imaginar como isso deve ser aguentado. Alguns apoiantes que parece ter no mundo, como imagens agressivas sob as janelas, que fazem alguma exibição de serem o apoio: - aqui você tem um magistrado, um exército, ou algo assim. Pense nos homens do mundo: "Podemos remover esses adereços, o todo seria rapidamente derrubado no chão." Sim, tão tolo eu fui eu mesmo e tão vazio de compreensão perante o Senhor, para ter uma visão de alguns adereços bem aparentes deste edifício, e pensar: como a casa deve ser preservada se estes forem removidos? - Eles olharam para mim como os marinheiros no navio de Paulo, sem a sua residência, eles não poderiam ser salvos, quando, ai! De repente, alguns manifestaram-se para ser postos em destaque, e o melhor para ser mantido pela casa, e não para mantê-la. Por esta razão, os homens do mundo não consideram grande motivo demolir a igreja espiritual de Cristo no chão: - encorajam-se uns aos outros à obra, nunca pensam no fundamento que está escondido, contra o qual se precipitam em pedaços. Digo, então, que Cristo, como fundamento desta casa, está escondido para os homens do mundo, - eles não veem, eles não acreditam nisso. Não há nada mais distante de sua apreensão do que Cristo deve estar no fundo daqueles e seus caminhos, a quem eles tanto desprezam. (3.) O fundamento é aquele que carrega todo o peso do edifício. Que parte da casa que não está diretamente preparada sobre ele não tem qualquer força. Pegue uma boa pedra, segure-a, coloque-a, faça com que pareça ser o melhor de todos os seus materiais; ainda assim, se você não colocá-la sobre o fundamento, responsável por dar-lhe uma base sólida, e suportar o peso e equilíbrio dela, será inútil, e pesada e rapidamente cairá no chão. Deixe um crente ser moldado pela Palavra e as ordenanças em conformidade externa, mas nunca tão exatamente, e ainda que ele pareça ser um dos mais belos santos do mundo; se ele não for posto corretamente pela fé sobre o fundamento, para derivar dele força, suporte e vigor, ele rapidamente cairá no chão. O que, então, se tornará de seu prédio que amontoará todo tipo de lixo para fazer uma casa para o Senhor?

2. Cristo é a arca desta casa. A arca no tabernáculo, e depois no templo, era a coisa mais sagrada no lugar mais sagrado. Não havia nada além das duas mesas de pedra escritas com o dedo de Deus; - antes que fosse nela colocada a vara de Arão que havia brotado, e um pote cheio de maná; - sobre o que era o propiciatório, sendo um prato de ouro tão longo e tão largo quanto a arca, cobrindo-a, sombreado com os querubins da glória. Agora, todo esse tecido glorioso significava, a menos que - a lei com seu poder de condenação estivesse escondida na arca, e coberta com o propiciatório, ninguém poderia estar diante do Senhor. Além disso, a lei era a antiga aliança das obras, e sendo renovada para eles principalmente para serem subservientes ao evangelho e, em parte, com as suas necessidades de administração carnal, para ser o mandado dos israelitas na terra de Canaã, e isso estando na arca, foi dito que contém a aliança, e é frequentemente chamada de "A arca da aliança". Jesus Cristo é a arca da casa espiritual. Quando o templo foi aberto no céu, foi visto no templo a arca do testamento de Deus, Apocalipse 11:19, - Jesus Cristo, que cumpriu tudo o que estava escondido sob o Antigo Testamento, Romanos 3:25. É dito que Deus declara que Cristo é a única propiciação ou um propiciatório; pois, por esse mesmo termo, o propiciatório é expresso, Hebreus 9: 5. Ele é, então, a arca e o propiciatório que a cobrem. Ele, então, faz estas duas coisas: - (1.) Em nome desta casa e de todas as suas pedras, ele esconde a lei com o seu poder de condenação, para que nada daí seja colocado à sua carga. Se um homem tiver uma causa para ser julgada em qualquer tribunal e um amigo poderoso dizer que a única prova que está contra ele não será produzida, isto não lhe dará incentivo para prosseguir? Naquele grande e tremendo julgamento que deve ocorrer acima, há apenas uma evidência principal contra nós, que dá vida a todos as outras; que, se for removida, todo o resto deve falhar: - esta é a lei. Cristo, como a arca e o propiciatório, esconde esta lei; - não deve (eu falo em relação a esta casa) ser produzido no dia do julgamento. Isso não será um grande incentivo para que eles apareçam no trono de Deus? Cristo esconde a lei, como sendo "o fim" dela, Romanos 10: 4, "para que a sua justiça seja cumprida em nós", Romanos 8: 4. Ele até agora respondeu a tudo o que a lei exigia, para que ninguém daí possa "colocar qualquer coisa à acusação dos eleitos de Deus", Romanos 8: 33,34. Não sejam temerosos os pecadores pobres, não será com eles como com Uzá: - que tocou a arca e morreu; toque esta arca e viva para sempre. E, - (2). Ele é a arca desta casa, como contendo em si mesmo a nova aliança; É feita com ele originalmente, estabelecida nele de forma irreversível, - feita através dele em toda a graça dele com fidelidade.

3. Ele é o altar desta casa. Havia dois altares no antigo tabernáculo e templo, - um altar para sacrifício e um altar para incenso, Êxodo 27: 1 e 30: 1. O primeiro foi o grande altar de bronze que se encontrava no lugar onde os holocaustos e todos os sacrifícios de sangue para remissão eram oferecidos. O outro menor, feito de madeira de acácia, todo coberto de ouro puro e uma coroa de ouro batido sobre ele, sobre o qual eles deveriam queimar incenso puro ao Senhor sempre. E ambos foram santos, santificando os dons com santificação legal que foram oferecidos sobre eles, Mateus 23:19. Agora, ambos estes servem o nosso Salvador nesta casa. Ele é o grande altar do sacrifício, o altar das oferendas para expiação e redenção: "Temos um altar, do qual não têm direito de comer os que servem ao tabernáculo.", Hebreus 13:10; isto é, aquele que santificou o povo com o próprio sangue, e sofreu fora do arraial, versículo 11. A boa vontade e alma de Cristo oferecendo-se a si mesmo, através do Espírito eterno, uma pura oblação e sacrifício, por uma oferta perfeita para todos os que são santificados, é todo o nosso altar. Ele também é o altar de ouro do incenso. O incenso é a oração, Salmo 141: 2: "Que a minha oração venha diante de ti como incenso". Jesus Cristo é o altar de ouro sobre o qual o incenso é oferecido, Apocalipse 8: 3,4, aquele altar que está sempre diante de Deus, Apocalipse 9:13. Como sendo o primeiro, ele aceita nossas pessoas, por isso, ele aceita nossos deveres. E todas as pedras vivas desta casa são sacerdotes para oferecer sacrifícios sobre estes altares. Por ele, como sacerdotes, eles têm aproximação ao lugar sagrado; - lá eles têm uma participação em todos os sacrifícios que são oferecidos sobre ou por ele.

4. Ele é o castiçal desta casa. A fabricação, e o moda de uso do candelabro no lugar santo do tabernáculo, você tem em Êxodo 25:31, etc. Foi um dos utensílios mais gloriosos desse tipo, feito de ouro puro batido, com muita variedade de obras, - cálices, flores e lâmpadas. O uso disso foi, para mostrar a luz para toda a adoração de Deus naquele lugar muito santo. O tabernáculo foi fechado, sem qualquer janela. Não era para receber a luz de fora; tinha toda a sua própria luz dentro. É verdade que este candelabro, com suas sete lâmpadas, representou secundariamente as igrejas de Cristo, Apocalipse 1:20: "Os sete castiçais que viste são as sete igrejas". Portanto, Salomão fez "dez candelabros de ouro puro", 1 Reis 7:49, para avançar ainda mais o aumento e a multiplicação das igrejas de Deus. Sobre esta conta, também, as duas testemunhas são ditas "dois castiçais", Apocalipse 11: 4, e "os dois ungidos que estão diante do Deus de toda a terra", Zacarias 4: 3. Há menção, de fato, de dois ungidos, mas de um candelabro; - o Espírito Santo claramente é citado, que, embora as igrejas e as testemunhas de Cristo também sejam candelabros em um segundo sentido, ainda há um candelabro eminente, que tem luz originalmente em si mesmo, que também se comunica com todos os outros. E isso é o que é mencionado em Zacarias 4: 1, que tem as "duas oliveiras", ou as duas igrejas ungidas de judeus e gentios, apoiando-a, recebendo luz dela para se comunicar com os outros: esvaziam o óleo dourado fora de si mesmos que eles recebem do candelabro. Porque este candelabro tem "sete lâmpadas", versículo 2; lâmpadas que queimam diante do trono que são os "sete espíritos de Deus", Apocalipse 4: 5, sete espíritos, isto é, a perfeição e a plenitude do Espírito de Deus em todas as suas graças e suas operações. Agora, quem tem estes sete espíritos? Aquele que não recebeu o Espírito "por medida", João 3:34, sendo a "pedra" sobre a qual estão os "sete olhos", Zacarias 3: 9. Ele, então, é este candelabro, e toda a luz que esta casa tem é dele. Há duas maneiras pelas quais Jesus Cristo fornece luz para esta casa: - (1.) Por meio de revelação doutrinária; (2.) De comunicação real. (1.) Ele sozinho fornece luz para todas as pedras deste edifício: "Ninguém jamais viu a Deus. O Deus unigênito, que está no seio do Pai, esse o deu a conhecer.", João 1: 18. Não há a revelação de Deus, da sua natureza, da sua vontade, do seu amor, senão da que é por Cristo. A lua emite luz; mas é apenas o que ela recebe do sol. Os profetas e apóstolos sustentavam a luz; mas foi tudo recebido dele. Eles falaram pelo Espírito de Cristo que estava neles. "Recebi do Senhor o que também eu entreguei a vós", 1 Coríntios 11: 23. O mesmo apóstolo amaldiçoa a todos os que tragam qualquer outra luz para esta casa, sejam anjos ou homens, Gálatas 1: 8, 9. Somente Cristo conhece plenamente a mente de Deus, como estando sempre "no seio do Pai", João 1:18; sim, ele sabe ao máximo, sendo um com seu pai, João 10:30. E ele está disposto a revelá-lo; pois "para este fim veio ao mundo, para que dê testemunho da verdade". E ele teve habilidade suficiente para fazê-lo, pois "nele estavam escondidos todos os tesouros da sabedoria e do conhecimento", Colossenses 2: 3 . Ele somente é o autor de toda a luz para esta sua santa habitação. Muitas tentativas foram feitas para criar luz nesta casa, e não de Cristo. Alguns trouxeram suas tradições, para ser a doutrina desta casa; alguns dos seus prudenciais, para o governo; alguns seus cerimoniais, para o culto dela; - todas as velas ao sol. Os homens pensam em se compelirem de faíscas e andarem à luz do fogo que eles mesmos acenderam diante do Sol da justiça? Nem esses homens se deitam na tristeza? Amado, preste atenção a tais "ignes fatui", fogos fátuos e falsos. (2.) Por meio de comunicação real. Ele é "a luz verdadeira, que ilumina a todo o homem que vem ao mundo.", João 1: 9. Todo aquele que tem alguma luz espiritual realmente comunicada a ele, a tem de Cristo. É parte de seu trabalho "recuperar a visão dos cegos", Lucas 4:18. E, por isso, ele aconselha que a igreja de Laodiceia venha até ele para comprar colírio, para que ela possa ver, Apocalipse 3:18. Na sua vinda, Sião brilha, Isaías 60: 1; porque a luz dele se levanta sobre ela, verso 2. O ensinamento doutrinário anterior não basta: a luz pode resplandecer nas trevas, e a escuridão não a compreende, João 1: 5. Toda a luz que o sol pode dar não fará um homem cego ver: deve haver uma faculdade visual. As pedras deste edifício são, por natureza, todas cegas, sim, escurecidas, sim, a própria escuridão. Se o Senhor Jesus Cristo não criasse, pela eficácia poderosa de seu Espírito, um poder visual dentro deles, assim como revela a vontade de seu Pai para eles, eles nunca discernirão espiritualmente as coisas de Deus. O homem natural não discerne as coisas de Deus, nem pode fazê-lo, 1 Coríntios 2:14. É verdade, os homens, com a ajuda de dons comuns, com o uso da antiga revelação doutrinária, podem atingir esse conhecimento da mente de Deus, como pode, em certo sentido, ser chamado de iluminação, Hebreus 6: 4. Tão longe quanto eles possam ir, muito eles podem fazer, por esta luz: - eles podem ensinar os outros, e se afastarem eles próprios de Deus, - podem disputar a verdade, sim, morrer pela verdade, e tudo isso enquanto não têm a primeira unção comum, - eles nada veem de forma clara, senão homens andando como árvores. Uma visão espiritual da mente de Deus não deve ser obtida sem um ato todo-poderoso do Espírito de Cristo, criando um novo poder de vida e luz sobre a alma. Alguns, na verdade, pensam que eles têm esse poder de ver em si mesmos. Faz, senão mostrar-lhes externamente o que é para ser visto, e deixa-os sem o discernimento real do que seja. Tu, que és assim, e sabe de onde é toda a tua luz; e se você estiver no escuro, se aproxime do candelabro onde toda luz está. Daí vem a tua luz, sim, e daí virá; os segredos do Senhor farão a sua morada contigo. E esta é a relação quádrupla em que o Senhor Jesus Cristo tem para esta casa, como é um edifício espiritual.

[2.] Em relação ao estado e condição, Jesus Cristo está em uma relação quíntupla com esta casa, - a saber, primeiro, como o dono; 2, o construtor; 3, o vigia ou detentor; em quarto lugar, o habitante; 5, o vingador: cada um dos quais eu vou desdobrar em ordem. 1. Ele é o dono disso. Ele chama isso dele: "Sobre esta pedra, eu construirei minha igreja", Mateus 16:18. "Moisés verdadeiramente era fiel em toda a sua casa, como servo; mas Cristo como um Filho sobre a sua própria casa, a qual somos nós", Hebreus 3: 5,6. E que você possa ver que ela não é propriamente dele, sem o direito e o título, sabe disso que na grande economia da graça Jesus Cristo tem um direito e um título triplos para esta casa. (1º.) De herança. Ele é por seu Pai "nomeado herdeiro de todas as coisas", Hebreus 1: 3. Por herança ele obtém este excelente nome, para ser Senhor desta casa. Deus o envia à vinha como herdeiro, depois que seus servos foram recusados. E ele tem um compromisso de seu Pai, para que ele desfrute de toda a sua herança, Salmos 2: 8. Pelo Pai designado, "na plenitude dos tempos, para reunir todas as coisas em Cristo, tanto no céu quanto na terra", Efésios 1: 10. Assim como Cristo é "o primeiro" "gerado" do Pai, Hebreus 1: 6, e "o primogênito de toda criatura", Colossenses 1:15, o direito da herança é dele. Mas isso não vai fazer; porque, - (2.) Quando ele deveria vir tomar posse desta casa, ele a acha hipotecada, e que uma grande dívida está sobre ela; o que ele deve pagar completamente, se ele pretende tê-la. Para o título anterior, também deve ser adicionado um direito de compra. Ele deve comprar esta casa e pagar um ótimo preço por isso. E qual é esse preço? o que é exigido dele? Não menos do que o seu sangue mais querido, Atos 20:28. Sim, ele deve fazer a sua alma uma oferenda para o pecado, e pagar toda a dívida; - toda a maldição e o castigo que esta casa tinha em parte realmente contraído sobre si mesma, e totalmente merecido. Ele deve colocar seus ombros debaixo do peso devido a ela, e suas costas para os açoites preparados para isso. Uma tarefa difícil! Mas Jesus Cristo sendo o herdeiro, o direito da redenção pertenceu a ele. Não era por sua honra que não devesse ser considerado. Muito bem, ele sabia que, se ele não fizesse, a criação inteira seria muito magra para fazer essa compra. É verdade que a nossa natureza - a qual ele assumiu pagar, - ficou assustada por um tempo e teria depreciado esse preço doloroso, gritando: "Se for possível, deixe passar este cálice de mim", mas se lembra de si mesmo e diz: "Estou satisfeito em fazer a sua vontade, ó Deus"; e, por meio do Espírito eterno, ofereceu-se a Deus por resgate. Ele gosta da casa, e terá que habitar nela, seja lá o que lhe custe. "Aqui", diz ele, "será minha habitação, e minha habitação para sempre", Salmo 132: 1. "Não conheceis", diz o apóstolo, "que vós sois o templo do Espírito de Cristo?" Bem, e como é que somos assim? "Vocês são comprados com um preço", 1 Coríntios 6:19. (3.) Para comprar ele também deve adicionar a conquista. Um usurpador injusto tomou posse desta casa, e manteve-a em servidão; - Satanás tomou conta disso, e trouxe-a, através da ira de Deus, sob seu poder. Ele, então, deve ser vencido, para que o Senhor Jesus Cristo possua completa posse de sua própria casa. "Para este propósito", então, "o Filho de Deus se manifestou, para destruir as obras do diabo", 1 João 3: 8. Como ele faz isso? Ele o domina e o destrói, na medida em que "através da morte ele destruiu aquele que tinha o poder da morte; isto é, o diabo", Hebreus 2: 14. E ele o despojou e expôs ao desprezo, tendo-o vencido. Ele amarrou o homem forte e depois o despojou de seus bens, Mateus 12:29. Toda aquela escuridão, incredulidade, pecado e dureza, que ele havia enchido esta casa com isso, Cristo dispersa todos eles. E para completar sua conquista, ele triunfa sobre seu inimigo e, como um poderoso conquistador, faz uma exibição aberta dele, para sua vergonha eterna, Colossenses 2:15: "e, tendo despojado os principados e potestades, os exibiu publicamente e deles triunfou na mesma cruz." e, por isso, fortalece seu título para a sua herança. Também posso insistir mais na doação de seu Pai, e a própria possessão que ele possui pelo Espírito; mas estes são suficientes para provar que esta casa seja de Cristo. Devo fazer algumas observações. 1. Esta é a casa de Cristo? Ele é o dono dela? - Deixe os homens tomarem cuidado de como eles a estragam por si mesmos. O salmista torna este um grande argumento em sua queixa contra os opositores, que eles entraram na "herança" do Senhor, Salmo 79: 1. O título da compra de Cristo não era tão claramente conhecido como o de sua herança; e, portanto, os antigos reclamaram principalmente esse título. Agora ele proclamou a todos, seus outros títulos também, - todo o direito que ele tem a esta casa, - aos seus santos, quem, então, se intrometerá com ele e se livrará? Entre os homens, todo aquele com todo o seu poder defende sua própria posse; e devemos pensar que o Senhor Jesus Cristo sofrerá que ele seja estragado a uma taxa fácil? Os homens não podem pagar caro por sua invasão? Como ele nos frustrou em nossos dias todas as tentativas de perseguição dele! "Não toque", diz ele, "nos meus ungidos". Os homens podem, com várias pretensões, reivindicar esse privilégio a tal terra, nação ou facção; no final, parecerá ser daqueles, e somente daqueles, que são pedras vivas desta casa. Os cachorros podem progredir por seu pão, mas não devem apreciá-lo. É Cristo nesta casa que fará de cada pedra uma pedra pesada. Ele fez isso para que os homens aprendam.

Observação 2. Cristo é o dono desta casa? - Deixe o pedido e a eliminação dela ser deixado para si mesmo. Os homens são capazes de adulterar sua casa. Eles serão tão gentis e cuidadosos quanto à sua sabedoria e prudência sobre isso; - Assim e assim será; estas são partes e membros dela. Cristo é extremamente zeloso de sua honra neste particular. Ele não pode suportar, que os homens que fingem a sua glória devam pensar que ele está faltando em amor ou sabedoria para com os seus, como não exatamente para dispor de todas as coisas que dizem respeito ao seu regime. Os homens não deveriam lidar em suas próprias casas como eles lidam com Cristo na dele. Nós temos toda a sabedoria suficiente (como supomos) para ordenar nossas próprias casas; - apenas a sabedoria e o amor do Pai deixa a sua para o poder discricionário dos outros. Esses pensamentos não vêm de cima.  

Observação 3. Cristo trouxe sua própria casa a si mesmo em tantos títulos? - Não deixe que os homens coloquem aqueles que estão atribuindo a ela, que não são dignos desse nome. Vá a um homem que habita em um palácio majestoso, mostre-lhe um chiqueiro, e diga-lhe: "Esta é a sua casa; é aqui que você habita" - você pode colocar uma maior indignidade sobre ele? "Não", diz o homem; "Isso não é meu; eu habito em um palácio suntuoso." E trataremos assim com o Senhor Jesus? Ele comprou e adornou sua própria casa: uma casa gloriosa. Se agora, os homens estenderão para ele uma cocheira, uma cova de animais imundos, uma pilha ruinosa, da qual a maior parte são pedras mortas, e diz-lhe que esta é a sua igreja, a sua casa, - isso não o provocará excessivamente? Ele suportará tanto opróbrio? Não, ele rejeitará tais propostas para a ruína deles. 2. Jesus Cristo é o construtor desta casa: "Este homem foi considerado digno de mais glória do que Moisés, na medida em que o que edificou a casa tem mais honra que a casa", Hebreus 3: 3. - "Eu", diz ele, "construirei a minha igreja", Mateus 16:18. Esta não é uma construção para qualquer trabalhador senão Cristo. É verdade, há outros empregados sob ele; e alguns tão excelentes dos quais pode ser dito que "sábios construtores", 1 Coríntios 3:10; mas, no entanto, toda a eficácia de seu trabalho neste edifício não é de si mesmos, mas apenas daquele por quem eles são empregados. Exceto que o Senhor construa esta casa, trabalham em vão aqueles que vão construí-la. Agora, esta casa recebe uma dupla construção: - (1.) Espiritual, de todas as suas pedras em uma casa mística. Disto que eu principalmente trato. (2.) Eclesiástica, de algumas pedras particulares em vários tabernáculos, que são partições úteis na grande casa mística, chamadas assembleias e moradias do monte Sião. Ambos estes tem somente de Cristo. (1.) Para a primeira; - se todos os trabalhadores mais habilidosos no mundo devem ir ao poço da natureza, por sua própria força para cortar pedras para este edifício, eles nunca, com toda sua habilidade e diligência, colocam uma pedra sobre ele. Há necessidade de vida para aquelas pedras, que ninguém pode dar senão Cristo. O Pai entregou na sua mão sozinho para dar vida eterna a quem ele quiser, João 17: 2. Ele sozinho pode transformar pedras em filhos de Abraão. A ele é cometida toda a dispensação do poder de vivificação. Ele nos tira do pó da morte, e ninguém acendeu sua própria alma. Com o poder espiritual, toda vida espiritual é investida em Cristo. Se as pedras mortas vivem, deve ser ouvindo a voz do Filho de Deus. O edifício de Cristo de sua casa mística é a sua entrega de vida a pedras mortas; ou melhor, a vida delas. Daqueles que tentam construir-se, e desenhar um princípio da vida espiritual das cisternas quebradas da natureza, falarei depois. (2.) Para a segunda, ou a comunhão de pedras vivas uma com a outra, e todas com Cristo, na ordem e culto designadas pelo evangelho, tornando-se assembleias e moradias do monte de Sião; - isso também é dele. Isto é para o seu culto solene público; e ele nunca permitiria que a vontade de qualquer criatura fosse a medida de sua honra, daquele que anda entre os candelabros; e segura as estrelas na sua mão. Olhe para a instituição deste edifício, - é de Cristo; - procure instruções sobre este edifício, - é totalmente dele. Dele, sua palavra, seu Espírito, é a instituição, a direção e a perfeição dele. Daqui, agora, tome algumas observações. 1. Cristo é o construtor dessa casa? Ele pode nos colocar neste edifício? Ele pode sozinho e, por seu poder todo-poderoso, colocar a vida em pedras mortas, para que cresçam para ele uma morada santa e viva? - O que, então, se torna desse trabalhador famoso, de livre vontade e um poder de acreditar em nós mesmos? Eles não trabalham efetivamente neste templo? Como foi no templo de Salomão, "não houve machado, nem martelo, nem nenhuma ferramenta de ferro ouvida na casa enquanto estava na construção", 1 Reis 6: 7; então, nesta casa espiritual, essa ferramenta de ferro de livre arbítrio não é ouvida uma vez sequer; nem vem perto do trabalho, - Cristo está sozinho. Ele dá vida a quem ele deseja. Será pensado que um morto terá um poder vivificador? Será que um espírito de vida será retirado das entranhas da natureza? É a vontade do homem, ou a vontade de Deus, que atrai os homens para Cristo? e é o seu Espírito, ou carne, que nos une a ele? Onde, então, este trabalhador é empregado, que faz todo esse barulho no mundo? Mesmo lá, onde os homens clamam: "Vá, construa-nos uma cidade e uma torre cujo topo alcance o céu", Gênesis 11: 4, entre aqueles que construíram uma Babel, uma torre própria para alcançar o céu. O Senhor desce e dispersa todos os seus compromissos. Este trabalhador nunca colocou pedra na casa de Cristo. Não, é como a mulher tola, que derruba a casa com as duas mãos. O que a graça livre edifica, o livre arbítrio se esforça para demolir.

2. Veja, portanto, um grande erro de muitas criaturas pobres, que seriam pedras nesta casa. Em que curso eles estão? Eles se escondem e se colocam, esforçam-se para cortar esse e aquele traste, que (como eles supõem) sozinho impede-os de serem instalados neste edifício; eles se empenham por votos, promessas, resoluções e compromissos, - embelezam-se com deveres e serviços; e, com muitos medos perplexos, se apresentam ao prédio, nunca sabendo se são admitidos ou não. Tudo isso, enquanto o grande mestre-construtor permanece perto, e quase não é observado. O que, agora, é a questão de tais tentativas? O que eles erigem num dia, cai em outro. Quando eles, muitas vezes, pensam que será bom para eles irem a este prédio, agora certamente eles terão uma participação e interesse nesta casa viva e gloriosa; de repente, eles caem novamente no chão, suas esperanças diminuem, e eles se supõem no lixo do mundo de novo. Não há fim desta alternância. Agora, essa pobre alma verá onde está o seu grande erro? Não se aplicou corretamente ao único Construtor. Você seria uma pedra neste edifício? Apresente-se diante do Senhor Jesus; e diga-lhe que você é em si mesmo impróprio para o grande edifício que tem à mão; - que muitas vezes você tentou se colocar sobre ele, mas tudo em vão: "Agora, Senhor Jesus, você me leva na sua mão. Se você me afastar, não posso reclamar, - devo justificar-te em todos os teus caminhos; mas tu chamas as coisas que não são como se fossem, - transformas pedras mortas em filhos de Abraão: oh, transforma minha morte em uma pedra viva! "Não tema; ele não o afastará. A vaidade dos homens, tentando misturar o poder e a sabedoria no amontoamento de tabernáculos para Cristo, pode ser descoberta.

3. Jesus Cristo é o grande vigia, ou detentor desta casa. Há, de fato, outros vigias, e o da própria nomeação de Deus, para o uso desta casa: "Filho do homem, eu te dei por vigia", Ezequiel 3:17; "sobre os teus muros pus atalaias”, Isaías 62: 6,7; que de maneira especial são os pastores das igrejas. "Eles observam", Hebreus 13:17, enquanto os sacerdotes e levitas até agora vigiavam o Senhor. Não pode ser negado, mas que muitos que tomaram sobre eles para serem esses vigias vigiaram apenas para seu próprio benefício, foram muitos deles cães, sim, cães idiotas, o pior dos cães, Isaías 56:10, sim, eles tem sido, e muitas vezes têm, sob vários pretextos, "ferido e espancado a esposa de Cristo", Cantares 5: 7. Mas, no entanto, eles nunca foram tão bons e verdadeiros com seus intentos, nunca foram capazes de vigiar e manter esta casa, pois "Exceto que o Senhor guarde a cidade, esses vigias observam em vão", Salmo 127: 1. Aquele que guarda a Israel, que não dormita, nem dorme, deve guardar esta casa, ou será destruída. Cristo, então, é aquele santo, e aquele observador, que desceu do céu, e ordenou cortar a árvore e os galhos, Daniel 4: 13,14, - Nabucodonosor e seu grande poder, por se intrometer com esta casa. Agora, Cristo observa sua casa para dois fins. (1.) Para ver o que necessita. 2 Crônicas 16: 9: "Os olhos do Senhor correm de um lado para o outro em toda a terra, para mostrar-se forte em seu favor." Ele olha para baixo do céu para contemplar os que o temem,  Salmo 14. Ele é essa pedra sobre a qual estão "sete olhos", Zacarias 3: 9, - uma suficiência, em perfeição de sabedoria, inspeção e governo, pelo bem de sua casa. E esses seus sete olhos "correm de um lado para outro através da terra inteira" para este propósito, Zacarias 4:10. Ele toma conhecimento do estado e da condição de seu povo, observa-os em suas angústias e dá-lhes uma libertação oportuna e adequada. Eles podem chamar cada fonte de seu refrigério de  Beerlahai-roi [O bem daquele que vive e me vê]. (2.) Para ver que o filho da violência não se aproxime da casa; e se ele o faz, exige isso de suas mãos; para fazê-lo comer sua própria carne, e beber seu próprio sangue, para que ele aprenda a não devorar mais. Observe, então, - 1. Daí que esta casa, que parece estar quase próxima à destruição, ainda é preservada da ruína. Por vezes, ela é trazida a uma condição que tudo aquilo diz, agora está arruinada para sempre. Mas ainda assim se recupera, e levanta-se novamente. O Senhor Jesus Cristo a olha o tempo todo: ele sabe até onde as coisas podem prosseguir para julgamento. Quando se trata dessa prova em que, se as pressões e os problemas continuassem, a casa ruiria, então ele repreende os ventos e as ondas e faz todas as coisas novamente. Como um pai que olha seu filho em um negócio difícil e perigoso, sabe que ele pode aliviá-lo quando quiser, mas, de bom grado, o verá tentar sua força e astúcia, - deixa-o sozinho até que talvez a criança se ache muito perdida, e pergunte por que o pai não a ajuda; mas quando a condição chega a ser tal que, sem ajuda, ele será perdido de fato, instantaneamente o pai coloca-o em suas mãos e o salva. Assim lida o Senhor Jesus com a sua casa, - muitas vezes se esforçam e lutam com grandes oposições, para extrair e exercer todas as suas graças; mas, no entanto, tudo isso enquanto ele olha, e quando o perigo está próximo, ele não está longe. 2. Que todos os inimigos da igreja saibam, que há quem nos supera em todos os seus conselhos e operações. Enquanto eles estão cavando profundamente, ele olha e ri deles para desprezá-los. Como perplexo foi o rei da Síria, quando descobriu que o profeta conhecia todos os seus projetos e os fez conhecer ao rei de Israel! Não podem deixar de ficarem perplexos os inimigos desta casa, quando verem que o grande Amigo e Protetor dela está continuamente presente em todos os seus conselhos. Deixe-os não se perguntarem em seus compromissos que não vingam; o olho de Cristo ainda está em cima deles. 3. Os santos veem seus privilégios; - quem quer que seja, em que condição, o olho de Cristo está sobre eles. Ele cuida deles para sempre, e conhece suas almas na adversidade. Quando nenhum olho os vê, ele olha para eles; eles não podem ser afugentados, nem se esconderem de sua visão. Há muitas almas pobres que passam pesadamente durante todo o dia, - que lúgubre em seus espíritos desconhecidos, despreocupados, impensados; - o olho de Cristo está sobre eles para sempre, continuamente; eles não podem ser expulsos de seus cuidados atentos. 4. Cristo é o habitante desta casa. Ele não a construiu e moldou para nenhum uso. É para uma habitação para si próprio. Ele escolheu Sião; ele o desejou por sua habitação. "Este é o meu descanso", diz ele; "Aqui vou habitar", Salmo 132: 13,14. Esta casa é construída para ser uma habitação para ele, Efésios 2:22. Ele é o "Rei dos santos", e esta casa é sua corte. É verdade, para a sua natureza humana, "o céu deve recebê-lo, até o tempo da restauração de todas as coisas", Atos 3:21; mas, no entanto, ele habita nesta casa de três maneiras: - (1.) Pelo seu Espírito. Cristo habita nesta casa, e em todas as suas pedras, pelo seu Espírito: "Não conheceis que Cristo está em vós, e que não sois reprovados?" 2 Coríntios 13: 5. - "Cristo em você", isto é, o Espírito de Cristo, Cristo, pelo seu Espírito. Assim, o Espírito Santo o expõe, Romanos 8: 9, "Se o Espírito de Deus habitar em você", que é, versículo 10: "Se Cristo está em você". Cristo e seu Espírito, quanto à habitação, são todos um ; pois ele habita em nós pelo seu Espírito. "O amor de Deus é derramado em nossos corações pelo Espírito Santo, que nos é dado," Romanos 5: 5. Não há apenas o "amor de Deus", uma graça do Espírito, "derramado" em nós, mas também há "o Espírito Santo dado a nós". Isso é totalmente afirmado, Romanos 8:11, "O Espírito daquele que ressuscitou a Jesus, habita em vós", como também, 2 Timóteo 1:14," Guarda o bom depósito que lhe foi confiado pelo Espírito Santo que habita em nós". Assim, dos santos é dito serem "templos do Espírito Santo." Jesus Cristo não constrói templos apenas por graça, ele habita neles ele mesmo - ele habita neles pelo seu Espírito. E este é um privilégio glorioso desta casa, que Jesus Cristo de uma maneira mística e maravilhosa deve habitar nela, e em toda pedra dela. Por isso, todos os crentes não são um Cristo pessoal, mas um Cristo místico, 1 Coríntios 12:12. No entanto, estamos distanciados em relação à sua natureza humana, mas, misticamente, somos um, um corpo, um Cristo místico, porque temos um Espírito morando em nós e ele. Se um homem nunca fosse tão alto, para que a cabeça dele atinja as estrelas, e os pés dele parassem no chão, ainda que, tendo apenas uma alma, ele ainda é um homem. Embora Cristo em sua natureza humana seja extremamente distanciado de nós, ainda que haja um e o mesmo Espírito nele e nós, somos um Cristo místico. No entanto, observe, - 1. Embora Cristo seja unido às pessoas dos santos pela habitação do Espírito, ainda assim os santos não têm aquilo que se chama união pessoal com ele, nem com o Espírito. A união pessoal é feita por uma pessoa da Divindade, assumindo a natureza do homem em uma personalidade consigo mesmo, que não possui sua própria subsistência pessoal. As coisas estão aqui puras de outra forma: Cristo não assume os santos em uma subsistência pessoal consigo mesmo, mas habita em suas pessoas pelo seu Espírito. 2. A manutenção das operações do Espírito de Cristo e de todas as suas manifestações, é voluntária. Ele trabalha como quer, e revela o que ele quer, mesmo onde ele habita. Ele não trabalha em nós naturalmente, mas voluntariamente, até a proporção que lhe agrada; portanto, ele habita igualmente em todos os santos em relação à verdade e à realidade, mas ele não o faz em relação ao trabalho e à eficácia. (2.) Por suas graças. Cristo habita nesta casa, e em todas as suas pedras, pelas suas graças. Ele "habita em nossos corações pela fé", Efésios 3:17. Ele habita em nós por sua palavra "em toda sabedoria", Colossenses 3:16. Todas as graças das quais somos participantes, recebemos de sua plenitude, e por elas habita em nós. Elas são, de fato, os ornamentos das pedras vivas desta casa, para fazê-los encontrar e se adequar a um habitante como o Senhor Jesus Cristo. Cristo não habitará em uma alma cuja mente é escuridão, sua teimosia e suas afeições carnal e sensual. Ele coloca a luz, a vida e o amor sobre a alma, para que possa encontrar-se para que ele habite. Cristo habita em todo o mundo por seu poder e presença, mas ele habita apenas em seus santos pelo seu Espírito e graça. (3.) Por suas ordenanças. Onde dois ou três deles estão reunidos, ele está no meio deles. As ordenanças de Cristo são os ornamentos da sua corte real; por eles ele é glorificado em todas as assembleias do monte Sião. Alguns teriam descartado a expiação de Cristo entre os seus santos; - no devido tempo, ele os repreenderá completamente. Alguns, ainda, o levariam para o mundo; mas ele fará saber aos homens que suas ordenanças são dadas aos seus. É verdade, o benefício de algumas delas se estendem ao mundo; mas o direito e o gozo delas é o privilégio de seus santos. Assim Cristo habita em sua casa. Por isso, observe, - 1. A intimidade do Senhor Jesus com seus santos, e o deleite que ele possui. Ele habita com eles, ele habita neles, - ele os leva para a união mais próxima possível: ele neles, eles nele, para que sejam um. Ele fez muitas mudanças admiráveis ​​conosco. Ele tomou nosso pecado, e nos dá a sua justiça; ele tomou nossa natureza e nos dá seu Espírito. Nem é uma habitação nua, - ele mantém conosco todos os atos da melhor comunhão. Ele diz: "Eis que estou à porta e bato; se alguém ouvir a minha voz, e abrir a porta, entrarei em sua casa, e com ele cearei, e ele comigo.", Apocalipse 3:20. (1.) Eu irei com ele; - Eu vou me deleitar e me satisfazer com ele. Jesus Cristo leva abundância de prazer e contentamento aos corações de seus santos. Daí é a oração do cônjuge: "Levanta-te, vento norte, e vem tu, vento sul; assopra no meu jardim, espalha os seus aromas. Entre o meu amado no seu jardim, e coma os seus frutos excelentes!", Cantares 4:16. Ela teria as especiarias, as graças que ela recebeu, respiradas por uma nova tempestade do Espírito, para que possam dar um sabor agradável. E por que assim? Para que seu Amado possa ter algo para o seu entretenimento, - para que ele venha e sirva-se e coma seus agradáveis ​​frutos. Uma alma pobre, que recebeu Cristo, não tem nenhum desejo tão fervoroso como para que possa ter algo para o entretenimento dele; que aquele que o preenchesse quando estava com fome possa não ser enviado (por assim dizer) vazio. E o Senhor Jesus é extremamente alegrado com esses refrigérios. Ele é detido, sim, atado com prazer; - ele não sabe como passar. Portanto, "ele descansa em seu amor", Sofonias 3:17. Ele está extremamente saciado com o prazer que ele tem neles. Mas também, - (2.) Os santos são supridos por ele: ele também oferece refrigérios para eles. Quando Cristo entra em nós, ele enche a alma com graça. Ele nos dá amor. Quando o Espírito de Cristo nos é concedido, ele expande o amor de Deus em nossos corações, Romanos 5: 5. Ele o expande, - derrama-o abundantemente. Amigos, o amor é um deleite: - é um prato escolhido na festa das coisas que Cristo prepara. Ele fornece "justiça, paz e alegria no Espírito Santo", para nós, esse é o seu reino, Romanos 14:17; e este seu reino está dentro de nós. De coisas tão preciosas como estas, Cristo oferece uma ceia para eles com quem ele habita. Se Cristo estiver em você, não deve lhe faltar esse entretenimento. Nós somos, de fato, às vezes como convidados loucos, que quando o alimento é colocado sobre a mesa, jogamos tudo fora, sem provar um bocado. Quando Cristo preparou guloseimas doces e preciosas para nós, nós as lançamos no chão; lançamos nossa paz e nossa alegria, por loucura e incredulidade; mas isso não faz com que a verdade de Deus não se afirme. 2. Cristo habita em nós pelo seu Espírito? - Não devemos ter cuidado para não entristecer o Espírito? O Espírito de Cristo é muito terno. Os santos continuamente consideram isso, que Cristo habita neles, - que ele está triste e incomodado com toda a sua incredulidade, paixões indisciplinadas, desejos mundanos, imaginação tola - certamente não poderiam deixar de estar mais vigilantes sobre eles do que geralmente estão. Ele é entristecido quando caminhamos com ele e mantemos comunhão com ele, e nos afastamos dele, para manter comunhão com o mundo ou a carne, - isso o aflige. Oh, "não entristeçais o Espírito de Deus, pelo qual estais selados para dia da redenção." E deixe-me dizer-lhe, se você fizer isso, embora ele não se separe completamente de você, nem tire sua bondade para sempre, mas ele fará o que fará seu coração doer, suas articulações tremerem e quebrarem todos os seus ossos em pedaços. Pois, - (1) Ele se afastará de você quanto ao sentido de sua presença, para que não tenha alegria, nem conforto, nem paz. Ele esconde o rosto e faz você acreditar (como dizemos) que ele se foi completamente de você. E isso ele fará, não por um dia, ou uma noite, ou assim, mas por um grande período. Você o procurará, e não o encontrará; sim, que implore e chore, e não tenha resposta. Agora, daria todo o mundo por um sorriso de Cristo, para uma impressão de sua presença no seu coração, e tudo em vão. Quando o Espírito de Cristo se afastou assim de Davi, em seu pecado, quanto ao senso e alegria dele, como ele clama, "Faze-me ouvir júbilo e alegria, para que se regozijem os ossos que esmagaste.", Salmo 51: 8. Se valer da presença de Cristo sem uma taxa maior, senão para prejudicá-la em todas as ocasiões, você pode ficará sem o conforto de todos os seus dias. Examinem-se, não é assim com alguns de vocês? Você não perdeu o sentido da presença de Cristo pela sua loucura e caminhada irregular? Talvez você não avalie muito, mas continue como Sansão com o cabelo cortado e pensando em fazer como em outras vezes; mas se os filisteus se colocarem sobre você, será tristeza e dificuldade; em cada assalto, você se encontrará um homem perdido; - mais cedo ou mais tarde será amargura para você. (2.) Ele partirá quanto à eficácia de seu trabalho em você, e o deixará tão fraco que não poderá andar com Deus. Seu Espírito é "um Espírito de graça e súplicas". Ele irá retirar-se assim que você achar seu coração em uma condição ruim, quanto a essas coisas. Ser frio na oração, morto em ouvir a Palavra, distanciado da meditação, superficial em todos os deveres, esta será a sua porção; - um quadro que uma alma terna tremeria só de pensar. Ah, quantas pobres criaturas vieram a este estado nestes dias, por sua negligência e desprezo de Cristo habitando neles! Eles perderam seu primeiro amor, sua primeira vida; suas graças estão prontas para morrer, e toda a sua alma está dormindo, em um quadro sem coração, sem vida, sem zelo. Eles devem ser salvos, mas "ainda como através do fogo". (3.) Ele perderá o senso da segurança e da garantia do que está por vir, bem como um sentido do que está presente. É o espírito de Cristo que habita em nos, mora em si, que dá a certeza da segurança e da garantia: aqui estamos "selados para o dia da redenção". Ele "testemunha com nossos espíritos que somos filhos de Deus". Mas quando o entristecemos, ele se retirará quanto a isso Além disso. Nós ficaremos perplexos, e no escuro, sem saber o que se tornará a nossa alma para a eternidade. Pois se Cristo, pelo seu Espírito, não fala de paz, quem falará? 3. Ele habita em nós por sua graça? (1.) Permitam-nos primeiro saber de onde são todas as graças, que, com vontade ou fraqueza, podemos saber onde buscar uma oferta. "De sua plenitude recebemos graça sobre graça". Todos os recursos de graças são de Cristo. "Senhor, aumente a nossa fé", dizem os apóstolos. Não só a fé é dele, mas também todos os aumentos dela. "Acredito; ajude-me na minha incredulidade", diz o pobre homem. Nós lutamos com uma pequena graça, um pouco de fé, um pouco de amor, um pouco de alegria; e estamos satisfeitos se pudermos manter nossa cabeça sobre a água, e que não fiquemos completamente afundados e perdidos. Quão doce seria conosco, se, com uma consideração séria de onde toda essa graça flui, nos aplicássemos para extrair graus e aumentos maiores dela, pelos quais o Espírito poderia habitar mais abundantemente em nós! Como isso pode ser feito em particular, não é meu negócio agora mostrar. (2.) Aprenda o ensino de como fazer as graças de Cristo crescerem, com aqueles que sustentam a sua presença para nós. Deixe-os ensiná-los em seus próprios corações. Elas são promessas da habitação de Cristo. Certamente, se os homens valorizassem Cristo, mais valorizariam suas graças. Muitos fingem amá-lo, honrá-lo, sim, como Pedro, para estarem prontos para morrer com ele, ou para ele; mas, o que demonstram mal, o que eles têm das graças de Cristo aparecendo nos outros! Como eles chamam de hipocrisia, humor, tolice, orgulho, singularidade, com outros termos! Não posso acreditar tão facilmente que alguém possa amar o Senhor Jesus e odiar as aparências dele nos outros. Onde está qualquer coisa de Cristo, também existe Cristo. 5. Jesus Cristo é o grande vingador desta casa, e de todas as injúrias ou erros que são feitos nela. "Todos", diz ele, "os que a devoravam eram tidos por culpados; o mal vinha sobre eles, diz o Senhor.", Jeremias 2: 3. Ele não terá inocente quem se levanta contra ela. Veja Isaías 59: 15-18: “Sim, a verdade desfalece; e quem se desvia do mal arrisca-se a ser despojado; e o Senhor o viu, e desagradou-lhe o não haver justiça. E viu que ninguém havia, e maravilhou-se de que não houvesse um intercessor; pelo que o seu próprio braço lhe trouxe a salvação, e a sua própria justiça o susteve; vestiu-se de justiça, como de uma couraça, e pôs na cabeça o capacete da salvação; e por vestidura pôs sobre si vestes de vingança, e cobriu-se de zelo, como de um manto.  Conforme forem as obras deles, assim será a sua retribuição, furor aos seus adversários, e recompensa aos seus inimigos; às ilhas dará ele a sua recompensa.” Ele leva a eles a vingança de sua casa, como seu próprio trabalho: "Ele não vingará seus eleitos? Ele irá fazê-lo rapidamente. "Veja também Isaías 63: 2-6: “Por que está vermelha a tua vestidura, e as tuas vestes como as daquele que pisa no lagar? Eu sozinho pisei no lagar, e dos povos ninguém houve comigo; eu os pisei na minha ira, e os esmaguei no meu furor, e o seu sangue salpicou as minhas vestes, e manchei toda a minha vestidura. Porque o dia da vingança estava no meu coração, e o ano dos meus remidos é chegado. Olhei, mas não havia quem me ajudasse; e admirei-me de não haver quem me sustivesse; pelo que o meu próprio braço me trouxe a vitória; e o meu furor é que me susteve. Pisei os povos na minha ira, e os embriaguei no meu furor; e derramei sobre a terra o seu sangue.”  Quão terrível é ele na execução de seus julgamentos de vingança contra seus inimigos! Assim também ele é descrito, Apocalipse 19: 13-15: “Estava vestido de um manto salpicado de sangue; e o nome pelo qual se chama é o Verbo de Deus. Seguiam-no os exércitos que estão no céu, em cavalos brancos, e vestidos de linho fino, branco e puro. Da sua boca saía uma espada afiada, para ferir com ela as nações; ele as regerá com vara de ferro; e ele mesmo é o que pisa o lagar do vinho do furor da ira do Deus Todo-Poderoso.” Ele prometeu fazer as pedras desta casa pedras pesadas; elas devem gravemente ferir todos os que as tocam, Zacarias 12: 3. Ele surge entre as “murtas” (suas pessoas humildes em condições baixas) com o "cavalo vermelho" que o segue, Zac 1: 8. Sobre este relato ele quebrou o antigo Império Romano, Apocalipse 6: 12-17; e destruirá o poder romano anticristão, com todos os seus adeptos, Apocalipse 17: 1-19: 1. Breve ou mais tarde ele chamará para uma prestação de contas a todos os instrumentos de perseguição no mundo. Por isso, dele é dito ser um leão em favor desta casa, que pisa tudo diante dele, Miqueias 5: 8. Jacó diz dele em Judá: "Judá é um leãozinho. Subiste da presa, meu filho. Ele se encurva e se deita como um leão, e como uma leoa; quem o despertará?", Gênesis 49: 9. Suponha que alguém o acerte: como então? "Ele não vai se deitar até comer da presa, e beber o sangue dos mortos", Números 23:24. Muitas crias pobres, por sua oposição à sua casa, despertaram este leão: e qual foi o problema? Que tentativas foram feitas para que ele se deitasse novamente! - Tudo em vão. Se ele for despertado, ele não descerá até comer e beber o sangue dos mortos. Mas suponha que seja feita uma grande oposição a ele, - ele não vai se entregar? De modo nenhum. Ele será como um leão que vem sobre a sua presa, se uma multidão de pastores for convocada contra ele, não temerá a sua voz, nem se abaixará com seu barulho, Isaías 31: 4: “Pois assim me diz o Senhor: Como o leão e o filhote do leão rugem sobre a sua presa, e quando se convoca contra eles uma multidão de pastores não se espantam das suas vozes, nem se abstêm pelo seu alarido, assim o Senhor dos exércitos descerá, para pelejar sobre o monte Sião, e sobre o seu outeiro.” Em breve, mais cedo ou mais tarde, temporariamente ou eternamente, ele vingará todas as feridas e destruirá todos os inimigos da sua santa morada, 2 Tessalonicenses 1: 6-10. “se de fato é justo diante de Deus que ele dê em paga tribulação aos que vos atribulam, e a vós, que sois atribulados, alívio juntamente conosco, quando do céu se manifestar o Senhor Jesus com os anjos do seu poder em chama de fogo, e tomar vingança dos que não conhecem a Deus e dos que não conhecem a Deus e dos que não obedecem ao evangelho de nosso Senhor Jesus; os quais sofrerão, como castigo, a perdição eterna, banidos da face do senhor e da glória do seu poder,  quando naquele dia ele vier para ser glorificado nos seus santos e para ser admirado em todos os que tiverem crido (porquanto o nosso testemunho foi crido entre vós).” E estas são algumas das relações em que o Senhor Jesus Cristo está com esta casa de Deus, sendo assim feito com isso beleza e glória, e excelência. A construção deste edifício, pela união de todas as suas pedras ao fundamento, e sua cimentação um ao outro pela fé, amor e ordem, não devo tratar agora, nem dos seguintes pontos do texto. Os usos gerais do que foi dito são três; as cabeças das quais eu irei nomear. 1. 1. Veja o privilégio eminente daqueles, que são realmente pedras desta casa, que é viva, forte e gloriosa, que está tão relacionada ao Senhor Jesus Cristo. Há mais dever, dignidade e segurança, nessa casa, do que pode ser facilmente expressado. Servir a Cristo como seu, ter a honra de ser dele, e ser salvaguardado como seu, são grandes privilégios. Aplicação 2. Aprenda, portanto, a vaidade de descansar sobre os privilégios exteriores da igreja, se não estamos interessados ​​nesta propriedade espiritual. Onde os homens ainda são pedras vivas, eles encontram-se em beleza e ordem nas assembleias; - e onde eles são de outra forma, onde as assembleias são constituídas por lixo morto, e ainda dizem: "A casa do Senhor, a casa do Senhor", - o Senhor Jesus aborrece essas assembleias; ele não está nessas relações com eles. 3. Veja, portanto, a ruína da perseguição que apareceu no mundo em várias formas. Ele colocou toda a sorte de cores e pretensões, e prevaleceu com todos os tipos de pessoas em um momento ou outro para fechar com ele. O que tem sido o problema? O que é que há de ser? A casa, de fato, foi maltratada às vezes; mas aqueles que vieram contra ela foram quebrados todos em pedaços. Será o resíduo de homens que, sob novos pretextos ou antigos pintados de novo, e se dirigem ao mesmo desígnio, - eles prosperarão? Tu, ó Senhor Jesus, na tua ira os cortará. O Senhor abra os olhos dos filhos dos homens, para que não desejem mais se intrometer entre Cristo e seus santos, entre os quais há tantas relações eternas!

Publicado
Visualizações
261