Se ela bater primeiro

Homem que é homem não age como moleque, não faz pirraça sob o argumento de que foi ela quem começou. O homem que bate em mulher que o agrediu primeiro está de igual modo sem razão nenhuma. Primeiro porque a violência não tem respaldo da legislação e, segundo,  porque não é segredo para ninguém que o homem tem muito mais força física que a mulher.

Trata-se, portanto, da velha covardia, uma vez que as forças não estão niveladas, além de crueldade que deve ser, sim, punida nas formas da lei. “Mas foi ela quem começou.” Ora essa, só falta agora chamar a mamãe. No mundo adulto, queridão, há leis que precisam ser respeitadas, e o fato de uma pessoa não a respeitar não exclui você das suas próprias responsabilidades cívicas.

Claro que com isso não defendo a impunidade da mulher. Evidente que não. Cada um deve responder isoladamente pelo que faz, mas veja bem: esse “isoladamente” vem acompanhado por um “proporcionalmente”, dado que, ao equivocadamente  agredir o homem, a mulher pode lhe causar mais sinais emocionais do que físicos,  enquanto que as características não serão as mesmas se ocorrer o contrário.

Novamente: não defendo a violência de ninguém,  mas defendo a aplicação da lei em favor da mulher em qualquer que seja a razão alegada pelo homem para cometer a agressão. Vou deixar isso ainda mais claro:  se ele a agredir,  ainda que supostamente ela o tenha provocado ou prejudicado de alguma forma,  cada qual deve recorrer aos órgãos legais para se apoiar e em hipótese alguma usar a violência física como resposta a alguma insatisfação.

Toda essa conversa em pleno século 21 deveria ser ridícula,  mas infelizmente a mulher ainda sofre preconceito até mesmo de outras mulheres, as quais não veem agravo nenhum em vitimar a vítima,  ou seja, culpar a vítima pela violência que sofre.

Que papelão, que coisa mais vergonhosa uma mulher pensar assim. Sempre comento que sou uma pessoa extremamente recatada. Nunca usei roupas curtas ou decotadas, nunca paquerei o marido de ninguém e me casei com meu primeiro namorado aos 16 anos (mantenho-me assim há 19 anos) e não sei ao certo o significado da palavra “noitada”.

Contudo,  se uma mulher sair sozinha e trair o marido e na volta para casa sofrer algum tipo de violência, certeza de que nem passará pela minha cabeça culpá-la por isso. É óbvio que não! Nunca vou apoiar um comportamento degradante, mas, de igual modo, nunca vou minimizar a crueldade de quem praticou a violência.

Gente, cabeça aberta, por favor. Uma amiga uma vez me disse que a mulher é culpada pelo estupro que sofre porque se veste de forma vulgar, tentando justificar isso ao dizer que o homem, ao ver uma mulher “provocante”, não conseguirá conter seus próprios “estímulos”, fazendo alegoria aos machos do mundo animal.

Como resposta, e para finalizar esta conversa, lembro-me de dizer com muita clareza que um homem que age como bicho precisa ser tirado, com urgência, do meio da civilização humana. Afinal, o mundo civilizado não é lugar para gente que se esquece de sua própria condição humana.

Por Erika de Souza BuenoBlog Olhar de Mulherhttps://olhardemulher.wordpress.comE-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

Publicado
Visualizações
140