AUDÁCIA E INOVAÇÃO NUMA TESE DE DOUTORADO

O que vou narrar agora me deixa simultaneamente feliz e triste, sim, dois sentimentos antagônicos sendo sentidos ao mesmo tempo, como é possível? Vou explicar. Feliz por alguém ter feito, ou melhor, ter rompido um paradigma na ciência, isto é, ter sido audacioso e inovador, porém triste, porque poderia ter acontecido em qualquer universidade daqui do Brasil, mas não foi aqui que aconteceu essa quebra, inusitada, científica. Sim, temos condições de fazer esses tipos de audácias! E por que não o foi?

Porque ainda há catedráticos preocupados com a forma dos trabalhos acadêmicos, e não com o conteúdo deles, com raríssimas exceções, lógico. Como posso ter certeza disto? É bem simples, na graduação de diversos cursos, qualquer universitário, que estiver no seu último ano de universidade ou faculdade, que está apresentando seu TCC[1] pela 1ª vez, ao seu orientador, para ele corrigir, tem seu trabalho riscado nos seguintes pontos: forma e tamanho de letra, acentuação gráfica, forma das referências bibliográficaas, formatação em geral, e por aí vai...

Na 1ª vez da correção, o orientador nem se dar o direito de ler a ideia e o desenvolvimento e a conclusão do trabalho, achando que isto faz ganhar tempo, e justificando-se, que tendo a forma toda correta, aí sim merece ser lido. Será que há fundamentação nisso? Será que o universitário terá tempo? Será que após deixa-lo inquestionável quanto a forma,  já o deixa pronto para o fim?  E se for percebido só no final que o conteúdo está ruim, ou de baíssimo nível, será que haverá tempo para mudar todo o estudo e manter uma boa concatenação de ideias na introdução, desenvolvimento e conclusão do TTC?

Não vi, nem nuca ouvi uma boa explicação lógica desta forma de correção, tão frequente, deste fato, que me convencesse! Acredito sinceramente, que primeiro deve ser despejado todo o conhecimento bruto, sobre o que se quer estudar, quando o orientador perceber a importância deste estudo, aí sim é a hora de se lapidar, nos erros quanto a forma e quanto a gramática propriamente dita.

Se o conteúdo estiver mal, deve-se alertá-lo, primeiramente, quanto ao nível de contribuição e a inovação do trabalho à ciência, pois só assim, se ganha tempo o orientando, para eliminar determinado estudo e já começar com outro tema, e não perdendo tempo mais com detalhes, a forma é para o final, isto é, para deixa-lo na tradição cientifica de apresenta-lo, pronto para os catedráticos e fazer parte do banco de dados para futuras pesquisas. Por que isto não é o recomendado? Não sei!

Agora me permita, querido leitor, exemplificar o que me parece mais sensato, dizendo de outra forma, como a audácia e a inovação são prioridades e realmente fazem parte das grandes universidades do mundo, antes da busca da forma perfeita de se apresentar um trabalho científico. Vamos lá ao fato...

Aconteceu nos EUA, recentemente (2014) um fato único, que mostra que o conteúdo é mais importante quanto a forma, vamos juntos refletir... Onde seria possível, em qualquer universidade do mundo, algo tão audacioso e inovador? Será que há coincidência no local, deste feito, ser um centro de ciência de altíssimo nível? Você deve está se perguntando, o que aconteceu de tão extraordinário? Pois bem, foi aprovado, pela 1a vez no mundo uma tese (de doutorado) que foi defendida e escrita, toda em forma de quadrinho, pense na quebra de paradigma... Será que aqui no Brasil, se teria maturidade da banca, aprovar uma tese toda em quadrinho? A tese, citada, foi totalmente bem fundamentada, mas foi apresentada toda em forma de quadrinhos. Lembrando que foi apresentada e aprovada[2].

É preciso melhorar nossa ciência, mas não podemos achar, que apenas deixar nossos estudos bem formatado é condição para termos a excelência na ciência, precisamos nos arriscar. Temos que ter coragem de ter audácia e inovação!

ESTIMULEM E INCENTIVEM OS AUDACIOSOS, OS QUE NÃO TÊM MEDO DE ROMPER O PARADIGMA. NOSSA CIÊNCIA PRECISA DE MUITOS AUDACIOSOS!! PRECISAMOS DE MUITA GENTE ASSIM!! Agora olhe o link, para saber onde foi ocorrido este caso, e se pergunte, e se responda: É coincidência ter acontecido lá?

___________________

[1] TCC = Trabalho de Conclusão de Curso ou Monografia, trabalho exigido como finalização de um curso superior, condição obrigatória, atualmente, para receber o diploma de uma universidade ou faculdade no Brasil.

[2] https://educacao.uol.com.br/noticias/2015/07/26/professor-publica-tese-de-doutorado-em-forma-de-quadrinhos-nos-eua.htm  acessado em 30/01/2017

Publicado
Visualizações
1.166