Drogas: Conheça os Tipos de Drogas e Como Elas Reagem no Seu Organismo! Em destaque

Quem nunca ouviu dizer que o uso esporádico do álcool e até mesmo drogas como a maconha não faz mal a saúde, ou que é difícil se viciar em bebidas alcoólicas? A ciência mostra que tais afirmações não são verdadeiras. Segundo os especialistas, todas as drogas podem produzir dependência, porém nem todas as pessoas são predispostas a desenvolver alguma doença relacionada ao uso dessas substâncias. É comum que jovens universitários experimentem drogas como a maconha. E mais comum ainda é ouvir das pessoas, que fumar uma vez por semana não faz mal á saúde. Mas os psiquiatras alertam que pesquisas recentes revelam que o uso precoce e continuado da maconha aumenta e chance de a pessoa vir a ter esquizofrenia.

Uso de droga não traz benefícios.

Já no caso de bebidas alcoólicas existe, sim, a possibilidade do consumo sem risco á saúde. Em uma média populacional, uma dose de menor risco para o homem são dois drinques; para a mulher apenas um drinque, porém, caso a mulher esteja grávida, ou, para qualquer gênero, haja dependência, diabetes ou hipertensão, não há nível seguro para consumo de bebida alcoólica.

O surgimento das drogas e como elas agem

As substâncias psicoativas tem feito parte da história da humanidade. Há milhares de anos certas plantas tem sido utilizadas para beneficio do corpo, da mente e do espírito. O ópio, por exemplo, é usado há muito tempo para alívio da dor.

No que diz respeito á origem, as drogas psicoativas podem ser divididas em três grupos:

Existem vias principais de administração de substâncias:

Droga injetável.Droga inalada.

A partir dos mecanismos de ação no sistema nervoso central, as substâncias psicoativas subdividem-se nas seguintes classes:

Depressoras do sistema nervoso central

Etanol-álcool

Apesar das grandes variações individuais, os efeitos da ingestão dessa substância dependem de sua concentração sanguínea. Essas concentração no sangue é expressa em miligramas ou gramas de etanol por decilitro. A ingestão alcoólica é responsável por uma série de efeitos depressivos no sistema nervoso central , desde leve sedação e relaxamento até anestesia, coma e óbito por parada respiratória.

O álcool pode causar parada respiratória.

Opioides

OS opiáceos são drogas derivadas do ópio e incluem uma ampla variedade de substâncias naturais, como o próprio ópio, além de morfina, codeína, tebaína, e semissintéticas, como heroína e outros. O uso de opioides é associado á sérios agravos á saúde, que incluem abscessos, reações e infecções nas áreas de administração, overdose, aborto espontâneo, colapso de veias e contágio de doenças infecciosas, como a AIDS e a hepatite, realizada a falta de esterilização dos instrumentos utilizados na administração da substância.

O método mais comum para administração de opioides é a injeção endovenosaO método mais comum para administração de opioides é a injeção endovenosa

No que tange especificadamente a heroína, seus efeitos em curto prazo aparecem logo após a administração da dose, desaparecendo em poucas horas, incluem:

Em doses altas, a heroína é capaz de levar o usuário ao sono profundo, o que pode evoluir para coma.Em doses altas, a heroína é capaz de levar o usuário ao sono profundo, o que pode evoluir para coma.

Os casos de óbito estão relacionados habitualmente a falência respiratória ou a outras complicações respiratórias e cardiovasculares.

Solventes voláteis

Os inalantes de uso mais comum são os solventes voláteis ( hidrocarbonetos), produzidos a partir do petróleo e do gás natural. são exemplos: thinner, gasolina e cola. O termo volátil significa que essas substâncias evaporam quando em contato com o ar, e solventes por serem capaz de se dissolver outras substâncias.

Usuários de drogas.

A via de administração é por inalação, e os efeitos surgem rapidamente após a primeira absorção, e aqueles manifestados em um período curto de uso incluem:

Os danos causados pelo uso crônicos de solventes podem levar ao óbito e estão muitas vezes associados á falência cardíaca e á depressão respiratória.

Anfetaminas

As anfetaminas são drogas sintéticas produzidas pela indústria farmacêutica e por laboratórios ilegais. Seu uso terapêutico inclui tratamento da narcolepsia (episódios incontroláveis do sono), transtorno do déficit de atenção com hiperatividade (TDAH) é parkinson.

Anfetaminas.

Em geral a via de administração é oral, injetada ou fumada, e os efeitos relativos a curtos períodos de uso têm a seguinte apresentação:

Em doses mais altas:

OS efeitos gerados pelo uso contínuo da substância incluem:

O uso de anfetaminas podem levar a óbito. As causas estão associadas á overdose e abrangem ruptura de vasos sanguíneos cerebrais, hipertermia, falência cardíaca, convulsões e coma.

O uso da anfetamina pode levar ao óbito.O uso da anfetamina pode levar ao óbito.

Ecstasy

O ecstasy é um entre vários alucinógenos associados a anfetamina. chamada de droga sintética, é uma substância alucinógena com propriedades estimulantes.

O ecstasy é, em geral, usado por via oral, e seus efeitos com uso em curto período se apresentam da seguinte forma:

Os sintomas podem persistir até o dia posterior, como: insônia, fadiga, dor muscular na região da mandíbula, perda de equilíbrio e dor de cabeça.

Os efeitos do ecstasy incluem distúrbios psíquicos, como alucinações e distorção da percepção.Os efeitos do ecstasy incluem distúrbios psíquicos, como alucinações e distorção da percepção.

Os relatos referentes aos efeitos com o uso contínuo da substância, tendem a apontar a presença de desconforto físico, perda de peso, exaustão, irritabilidade, paranoia, depressão e outros.

Os óbitos relacionados aos casos de ecstasy, em geral, estão relacionados á falência renal ou cardiovascular induzida por hipertermia ( aumento da temperatura corporal) e desidratação.

Cocaína

A cocaína é um alcaloide extraído das folhas da coca. A maceração da folha da coca com adição de certos produtos gera uma pasta de natureza alcalina, chamada pasta de base de cocaína. as vias principais de administração são: intranasal, fumada e injetada.

Pasta de cocínaPasta de cocaína

Os efeitos em curto período de uso envolvem:

O usuário pesado de cocaína tende á:

Outros danos dependem da via de administração utilizada. por exemplo, quando a substância é administrada por via intranasal, a constrição dos vasos sanguíneos localizados na mucosa nasal, pode levar a prejuízos no tecido local e perfuração do septo nasal.

Sintomas psicóticos.Sintomas psicóticos.

Crack

Está todos os dias nos jornais e na esquina das cidades para quem quiser ver: o crack está se espalhando pela população, especialmente entre os jovens. Estima-se que no brasil some 1,2 milhão de usuários de droga.

O crack é uma forma de apresentação mais barata da cocaína, tem caráter sólido, conhecido como "pedra", e é um subproduto da pasta da coca que, aquecido, pode ser fumado. Suas principais características são:

Seu padrão de uso é denominado binge ( padrão de uso repetitivo) que pode ter duração de dias. No período de consumo repetitivo, o indivíduo não se alimenta, não tem cuidados básicos de higiene, tampouco com a sua aparência, e não dorme.

As ações preventivas devem atingir pessoas que ainda não são dependentes.

Vale dizer: dependência química é uma doença e, como tal, deve ser tratada prioritariamente por médicos, em especial os psiquiatras, para orientação, pelos conhecimentos técnicos e evidências científicas, livre de achismos ou da colocação do dependente químico na condição de de vítima social.

Abaixo usuários de drogas espalhados pelo Brasil:

Nicotina

A nicotina é uma poderosa substância psico ativa que tem um complexo mecanismo de ação. Trata-se de uma amina terciária volátil. É mais consumida na forma de cigarro, mas pode ser encontrado no charuto, no cachimbo, no tabaco mascado, entre outro produtos.

A nicotina é administrada em fins terapêuticos para o tratamento do tabagismo e alívio dos sintomas de abstinência.A nicotina é administrada em fins terapêuticos para o tratamento do tabagismo e alívio dos sintomas de abstinência.

A nicotina é absorvida pelo organismo, incluindo pulmões, boca, mucosa nasal. pele e aparelho gastrointestinal. Ao fumar um cigarro, a nicotina atinge rapidamente o sistema circulatório e estima- se que chegue ao cérebro em torno de 10 a 20 segundos.

Para o fumante passivo, a inalação da fumaça expelida pode causar dor de cabeça, tontura, náusea, cólica abdominal.

Embora os efeitos do contato inicial com a substância sejam, via de regra, desagradáveis, e marcados por dor de cabeça, nervosismo, insônia. tosse e náusea, a tendência é que cedam rapidamente e apareçam outros, característicos do seu uso em um curto período de tempo, tais como sensação de bem-estar, aumento da concentração e relaxamento.

A nicotina atinge o cérebro cerca de 10 a 20 segundos.A nicotina atinge o cérebro cerca de 10 a 20 segundos.O tabaco apresenta a mai s extensa causa de doença já investigada e documentada na história da pesquisa biomédica.O tabaco apresenta a mai s extensa causa de doença já investigada e documentada na história da pesquisa biomédica.

Cannabis- Maconha

O principal psico ativo dessa droga é o THC ( delta-9- Tetrahidrocannabinol), uma substância com propriedades alucinógenas menos potentes do que o LSD.

Maconha.

Os efeitos em um curto período podem apresentar-se da seguinte maneira:

Pesquisa tem apontado que o uso crônico da substância gera alterações na área do hipocampo ( cérebro), levando a um comprometimento no sistema de processo de informação, crucial para a aprendizagem, a memória e a integração entra experiências sensórias, emoções e motivação.

Além disso, seu uso crônico pode estar associado a problemas psiquiátricos e respiratórios, com a manifestação de tosse e de sintomas de bronquite crônica.

quer saber mais sobre Saúde, então acesse: http://dicasaudeebemestar.com.br/

Publicado
Visualizações
2.554
Votos
2