Pensando a Sociedade e o Estado a partir do Materialismo Histórico Dialético

Compreender a sociedade e a estrutura coletiva em que estamos inseridos é um desafio constante, exigindo de esforços de diversas áreas do conhecimento. Nesse artigo escreveremos sobre as contribuições da matriz epistemológica materialista histórico dialética na discussão sobre o mundo atual.

A sociedade sob a ótica materialista, de acordo com Pires (1997), é pensada através das organizações nela presentes, enfatizando as instituições governamentais, os processos de distribuição de renda e os modelos de produção vigentes. Ao se interpretar a sociedade deve ter em mente o caráter material social, que é a maneira a qual os indivíduos se organizam visando a manutenção da vida e a produção de bens materiais, e o caráter histórico social, que são os modelos de organização já superados.

Para Lenin (2009) a sociedade atual é regida por uma questão básica geradora de conflitos: o embate entre as duas classes sociais, burguesia e proletariado. Entende-se por proletariado a grande parcela da população que vende sua força de trabalho para obter condições de sobrevivência, e por burguesia uma parcela pequena de pessoas que concentram grande parte da renda mundial e coletam a força de trabalho excedente do resto da população. São as tensões entre essas duas classes distintas que influenciam nos processos sociais.

O estado, segundo Lenin (2009), é uma instituição criada para proteger a propriedade privada, garantindo assim a concentração de renda da classe burguesa. Ele ocupa um lugar de grande importância na sociedade, realizando a mediação entre as duas classes. Seus esforços e práticas servem para atender principalmente os interesses da classe dominante, mas também desprendendo alguns esforços em encontro aos interesses da classe dominada, garantindo assim a sobrevivência de ambas e a manutenção do sistema de produção vigente.

O dinamismo entre o estado e a sociedade civil é visível, assim como as tensões proeminentes dessa relação. Os embates entre as classes é complexo, demandando de estudos mais aprofundados.

Referências bibliográficas:

LENIN, Vladimir. O Estado e a Revolução. Clube de Autores, 2009.

PIRES, Marilia Freitas de Campos. Education and the historical and dialectical materialism. Interface — Comunicação, Saúde, Educação, v.1, n.1, 1997.

Publicado
Visualizações
455
Votos
1