Noções positivistas de indivíduo e sociedade

A matriz epistemológica positivismo tem imensas contribuições na conceituação e nas ideias sobre indivíduo e coletividade. Nesse artigo escreveremos a respeito das noções positivistas de pessoa e sociedade.

Os estudos sobre o indivíduo a partir da ótica positivista ganharam destaque a partir de Skinner e outros autores behavioristas. Para Dittrich et al (2009) concepção de sujeito para o behaviorismo consiste no entendimento do fenômeno individual como um aglomerado complexo de padrões de comportamento observáveis e mensuráveis, sendo que esses padrões são construídos ao longo do tempo e se modificam no decorrer da vida da pessoa. Nessa concepção, todas as ações do indivíduo são consideradas comportamentos, sendo que alguns comportamentos são passiveis de observação, como as ações e a comunicação (comportamentos verbais), e outros não são, como os pensamentos e as sensações (comportamentos privados). O comportamento do ser humano é analisado dentro de contingências analíticas, todas as categorias de comportamentos descritas anteriormente fazem parte de alguma contingência de análise, ou seja, todo comportamento (resposta) é precedido por um estímulo ambiental e seguida por uma consequência, sendo que a natureza dessa última ira influenciar na frequência com que o comportamento se repetira.

A sociedade é interpretada pela matriz positivista, segundo Fulgencio (2000), como um conjunto de leis universais de funcionamento que regem os fenômenos e processos globais. Essas leis podem ser investigadas e comprovadas a partir da observação e da razão lógica. Para haver a devida compreensão dos fenômenos sociais eles devem ser divididos, classificados e analisados através do empirismo e da lógica, nesse momento que o conhecimento racional se faz presente como uma ferramenta complexa e especializada para auxiliar na compreensão do mundo.

Referências bibliográficas:

DITTRICH, Alexandre et al. Sobre a observação enquanto procedimento metodológico na análise do comportamento: positivismo lógico, operacionismo e behaviorismo radical. Psicologia: Teoria e Pesquisa, v. 25, n. 2, p. 179-187, 2009.

FULGENCIO, Leopoldo. Convocação para a fundação de uma" Sociedade para a Filosofia Positivista". Natureza humana, v. 2, n. 2, p. 429-438, 2000.

Publicado
Visualizações
1.192
Votos
1